Biden reforça processo de vacinação e quer adultos elegíveis até 1º de maio

Joe Biden promete que o país sairá mais forte da crise, e quer a normalidade até 4 de julho

 

No seu primeiro pronunciamento à nação, Joe Biden lança o Plano de Ação para tirar país da crise até 4 de julho, Dia da Independência. Quer todos os adultos elegíveis para a vacina contra a Covid-19, até 1º de maio

 

Da Redação

Após assinar o Projeto de Estímulo de US$ 1,9 trilhão, o presidente Joe Biden disse em pronunciamento à nação que até 1º de maio os adultos nos EUA deverão estar elegíveis para a vacina contra a Covid-19. Foi o primeiro pronunciamento apresentando o Plano de Ação para tirar o país da crise até 4 de julho, Dia da Independência. “Enfrentamos e superamos um dos períodos mais difíceis e sombrios da história desta nação, o mais sombrio que já conhecemos. Prometo que você sairá mais forte”, ressalta o democrata.

Biden alertou a população para não se descuidar dos procedimentos de segurança – mesmo vacinados –, usando máscaras, mantendo-se socialmente distante e praticando boa higiene para interromper a disseminação do vírus conforme o ritmo das vacinações aumenta. Vários estados têm afrouxado as restrições.

Em um relato sobre as dificuldades que a pandemia trouxe ao país, Biden disse: “Fotos e vídeos de 2019 parecem ter sido tirados em outra época. As últimas férias. O último aniversário com amigos. O último feriado com família extensa”. Lembra.

“Embora fosse diferente para todos, todos nós perdemos algo”, acrescenta, avaliando que no início da pandemia, o vírus foi recebido com “negações por dias, depois semanas, depois meses, que levaram a mais mortes, mais infecções, mais estresse, mais solidão”, lamenta.

Essa data de vacinação dos adultos é uma nova meta para o presidente, que alertou os americanos que mais dor e morte ainda viriam do vírus que matou mais de 530 mil pessoas nos EUA. Biden proporciona otimismo cauteloso a um país que, como o resto do mundo, está cansado de restrições à pandemia e dores econômicas.

O presidente está ordenando aos estados que tornem todos os adultos elegíveis para receber uma vacina contra o coronavírus até 1º de maio. A Casa Branca disse que teria fornecimento de vacina suficiente para vacinar a população até o final de maio. Cerca de 10% dos americanos já foram totalmente vacinados.

A Casa Branca recentemente fechou um acordo para aumentar a produção da vacina Johnson & Johnson, que requer apenas uma dose.

Mais tropas americanas, segundo o democrata, ajudariam no esforço de vacinação, acrescentando que famílias e amigos devem poder se reunir novamente em pequenos grupos até 4 de julho, feriado que muitos americanos comemoram com festas ao ar livre, cachorros-quentes e fogos de artifício.

A Casa Branca também está buscando expandir o número de pessoas capazes de administrar injeções para incluir dentistas, optometristas, paramédicos, veterinários e estudantes de medicina.