Biden próximo da vitória; Trump entra na Justiça na Pensilvânia, Geórgia e no Michigan

Joe Biden está cada vez mais próximo da vitória; Donald Trump contesta e entra na Justiça

 

Com o avanço de Joe Biden na contagem de votos, e se aproximando da vitória, Donald Trump mostra-se enfurecido, alegando “fraude”, e entra na Justiça para suspender a contagem de votos na Pensilvânia, na Geórgia e no Michigan

 

Da Redação

Está cada vez mais acirrada a contagem de votos da eleição presidencial, denotando o favoritismo de Joe Biden, e enfurecendo Donald Trump que entra na Justiça para suspender a contagem de votos na Pensilvânia, na Geórgia e no Michigan. A postura de Trump, com acusações de deficiências do processo eleitoral nos EUA, “prejudicam a confiança do público nas instituições democráticas do país”, alertam analistas políticos. O republicano também vai pedir a recontagem de votos em Wisconsin.

Na Pensilvânia, onde começou bem à frente e viu sua margem diminuir durante a quarta-feira, a campanha de Trump acusou as autoridades eleitorais de proibirem os fiscais do partido – que acompanham a contagem – de se aproximarem a menos de 7,6 metros. “Estamos processando para suspender temporariamente a contagem até que haja transparência significativa e que os republicanos possam garantir que todas as contagens sejam feitas de acordo com a lei”, disse o vice-diretor da campanha, Justin Clark, em um comunicado.

De acordo com as projeções da agência de notícias Associated Press, o candidato Joe Biden, do Partido Democrata – venceu em Wisconsin com 1.630.396 votos, ou seja, pouco mais de 49,5%. Já Trump obteve 1.609.879 votos, o que representa 48,95% do total. Quatro anos atrás, nas eleições presidenciais de 2016, Trump chamou a recontagem de votos feita em Wisconsin de “golpe”, pedida pela então candidata Hillary Clinton.

Além disso, Trump declarou que entrou com uma ação para interromper a contagem de votos em Michigan, alegando que foi negado à equipe de campanha o acesso para observar a abertura das cédulas. Ele ainda estava na frente na apuração no estado, mas foi superado por Biden. Na noite de quarta-feira, a campanha de reeleição do presidente dos Estados Unidos também abriu um processo na Geórgia para interromper a contagem de votos no Estado para a eleição presidencial. Trump lidera a apuração no estado, mas sua vantagem diminuiu.

Bill Stepien, o responsável pela campanha de Donald Trump, chegou a declarar vitória na Pensilvânia, mas a distância continua a encurtar a cada hora que passa, dando razão à confiança que era transmitida da campanha de Biden. Nesta altura, segundo o “New York Times”, separam-nos 164,414 votos (89% dos votos apurados).

Arizona – A distância de Donald Trump para Joe Biden encurtou no Arizona, um estado que a Associated Press tinha declarado como vitória para os democratas. Os candidatos estão separados por cerca de 60 mil votos, quando faltam apurar 14% dos votos. Joe Biden: 50.5% e Donald Trump: 48.1%

Pensilvânia – Segundo divulgou a pouco o Jornal The New York Times, na pesquisa à boca de urnas na Pensilvânia – onde a contagem de votos segue ininterruptamente –, estas são as projeções do perfil dos eleitores de Joe Biden e Donald Trump:

54% dos homens votaram em Trump
56% das mulheres votaram em Biden
56% dos brancos votaram em Trump
92% dos negros votaram em Biden
69% dos latinos/hispânicos votaram em Biden

18-29 anos: 61% -> Biden
30-44 anos: 60% -> Biden
45-64 anos: 57% -> Trump
+65 anos: 52% -> Trump