Baixa do dólar impulsiona a busca por viagens aos EUA; Orlando tem a preferência

A moeda americana fechou abaixo dos 5 reais e alavancou a busca por passagens para os EUA

O dólar fechou abaixo dos 5 reais na quarta-feira, disparando a busca por passagens para os EUA – Orlando tem a preferência dos brasileiros. O recuo, se dá pelas condições favoráveis no Brasil: a entrada de dólares via investidores estrangeiros e exportadoras

Da Redação

O dólar fechou abaixo dos 5 reais no Brasil nesta quarta-feira, com juros domésticos elevados continuando a atrair fluxos estrangeiros. Nas agências de turismo o novo valor da moeda americana foi comemorado, pois alavanca a busca por passagens para os EUA, principalmente para Orlando – o destino mais procurado por brasileiros.

______continua após a publicidade_______

retaxes

Em momentos como o atual, de aparente alívio na cotação, o brasileiro volta a olhar com interesse para o dólar, se perguntando se é ou não a hora de comprar a moeda americana para pagar a viagem para os EUA. Pode, no entanto, ser uma oportunidade de compra interessante para quem tem a intenção de fazer uma viagem ao exterior no curto prazo, como, por exemplo, nos próximos meses.

A principal recomendação dos especialistas é comprar dólar aos poucos, para construir o chamado “preço médio”. Ao adquirir dólar parceladamente em diversas janelas de tempo, o comprador obtém diferentes cotações e, assim, se protege da variação do câmbio.

A dica vale principalmente para períodos de alta volatilidade no mercado de câmbio, como vem acontecendo nas últimas semanas no Brasil. Isso porque anos eleitorais costumam ser períodos de incerteza nos mercados, com movimentos mais acentuados de altas e baixas na cotação.

O dólar está ficando cada vez mais distante dos altos picos registrados no ano passado. Em janeiro de 2022, a moeda americana caiu aproximadamente 5%. Na semana passada, a moeda chegou a R$ 5,1279, menor patamar desde setembro de 2021. O recuo se dá pelas condições favoráveis no Brasil: a entrada de dólares via investidores estrangeiros e exportadoras.

E se tem mais dólar circulando no país, maior a oferta sobre a demanda, o que resulta na perda de força da moeda dentro da fronteira brasileira. O aumento do volume de capital externo investido no Brasil pode começar a explicar a valorização do real frente ao dólar.

Segundo analistas políticos, em janeiro, os ‘gringos’ investiram mais de R$ 37 bilhões em compras de ações na bolsa brasileira, o maior saldo mensal de capital externo dos últimos 12 meses.

____________________publicidade___________________

seguro

seguro

anuncie