Ativistas e legisladores da Flórida pedem o fim de deportações de haitianos  

Ativistas haitianos pedem o fim das deportações e fazem passeatas no sul da Flórida

 

Aumenta a pressão para que o governo do presidente Joe Biden melhore o tratamento aos imigrantes haitianos na fronteira. Ativistas haitiano-americanos e legisladores democratas no sul da Flórida reivindicam a paralisação de voos de deportação em massa

 

Da Redação

A deportação em massa de haitianos, que pedem asilo político aos EUA, vem mobilizando ativistas haitiano-americanos e legisladores democratas no sul da Flórida, que reivindicam ao presidente Joe Biden que interrompa os voos – refugiados estão sendo levados de volta a Porto Príncipe, no Haiti. Com isso, aumenta a pressão contra o governo Biden, para que melhore o tratamento aos imigrantes na fronteira dos EUA com o México, perto de Del Rio, Texas.

As imagens de agentes da Patrulha de Fronteira montados a cavalo confrontando imigrantes haitianos chamaram a atenção nacional e provocaram indignação da comunidade haitiana do sul da Flórida, que vem fazendo protestos e pedindo às autoridades de imigração que “olhem para os haitianos com bom senso, e que os acolham.”

Políticos e ativistas do sul da Flórida apelaram pessoalmente ao secretário do Departamento de Segurança Interna, Alejandro Mayorkas, para suspender as deportações do Haiti desde maio, antes do terremoto de magnitude 7,2 e do assassinato do presidente Jovenel Moïse.

“Você tem que consertar isso, e estou falando com o presidente dos Estados Unidos da América e todos os demais subordinados ao presidente, que é a nação inteira”, disse representante da Comunidade haitiana na Flórida. “Estamos basicamente implorando e todos nós estamos chateados.”

Os legisladores também passaram meses pedindo o reinício do Programa de Reunificação da Família no Haiti, que permitiu que haitianos com parentes nos EUA entrassem e trabalhassem enquanto aguardavam o green card. A administração Trump encerrou o programa em 2019.

O deputado Dotie Joseph do estado de Miami, que nasceu no Haiti, disse na quinta-feira que o governo Biden precisa ter complacência e evitar a expulsão de imigrantes haitianos sob o Título 42 , uma lei que dá aos funcionários federais mais poder para deportar migrantes sob os auspícios de limitar os efeitos da pandemia Covid-19.