Asas de Deus

voltar

OUT/12 – pág. 60

Depois de um incêndio numa floresta, os bombeiros começaram sua caminhada por entre as árvores queimadas e retorcidas pelo fogo. Eles lá estavam a fim de verificar a intensidade do estrago, quando um deles se deparou com uma cena estranha: apenas a alguns passos de distância, aos pés de uma árvore, ele viu algo que parecia um pássaro queimado. Aproximou-se e verificou tratar-se realmente de um pássaro em cinzas, empoleirado no chão, na base de uma árvore. Intrigado com o que via, ele bateu delicadamente na ave com uma vara. Com o movimento, o bombeiro surpreso viu sair de sob as asas do pássaro morto, três filhotinhos.

Ele se emocionou, pois a mãe amorosa, em plena consciência do desastre iminente, tinha levado seus filhos para a base da árvore e reuniu-os debaixo de suas asas, instintivamente sabendo que a fumaça tóxica subiria.

Ela poderia ter voado para um lugar seguro, mas recusou-se a abandonar seus filhotes.

Quando o incêndio chegou, a mãe permaneceu firme, deixando o intenso calor queimar seu pequenino corpo e assim preservar a vida dos seus filhos para que, no futuro, eles pudessem voar em liberdade.

O bombeiro concluiu que a sabedoria da vida supera-nos e a natureza ensina-nos com seus exemplos de amor.

Quantas vezes recusamos a proteção das asas de Deus por insensibilidade e egoísmo!

Um abraço!

Madu Caetano