AROMATERAPIA – O Poder das Essências

voltar

ABR/13 – pág. 51

Alecrim

O nariz é a porta de entrada da mente. Pesquisadores descobriram que as essências podem influenciar, de forma poderosa, seu humor e sua saúde. Por exemplo, recente estudo realizado na Universidade Médica de Viena demonstrou que os odores de laranja e lavanda melhoram o humor dos pacientes nos momentos que antecedem uma intervenção cirúrgica dentária, como, por exemplo, extração dentária e tratamento de canal.

Óleos essenciais são compostos voláteis produzidos pelas plantas para sua sobrevivência. A espécie vegetal produz compostos tais como açúcares e nitrogenados para sua nutrição e outros compostos químicos, dentre eles os óleos essenciais que exercem as funções de autodefesa e de atração de insetos para a polinização.

De maneira geral, os óleos essenciais são produzidos em diferentes partes da planta, como nas flores, cascas de frutos (denominados cítricos), folhas e pequenos grãos, raízes, cascas da árvore, resinas da casca, sementes. Os aromas produzidos pelos óleos essências são chamados de “A alma da planta” ou “A energia vital da planta”.

Há registros da utilização dos óleos essenciais desde épocas anteriores ao antigo Egito, passando pela Idade Média e chegando ao início do século XX através de tratados de Aromaterapia. As pesquisas científicas atuais, dando origem a novas nomenclaturas como Aromacologia e Aromatologia, têm comprovado a ação dos óleos essenciais como bactericida, analgésica, sedativa, estimulante, antifúngica, antiprurido, antidepressiva, repelente de insetos, e outros.

Canela

Recentes pesquisas, utilizando medições de RMN (Ressonância Magnética Nuclear) da região cerebral, mostram que todo sistema límbico é ativado durante a inalação de óleo essencial de lavanda, lavandula officinallis, esclarecendo por que os aromas proporcionam um resultado tão imediato nas nossas emoções, no humor, sensações, lembranças e recordações.

Em 2004, o Prêmio Nobel de Medicina em Fisiologia foi concedido a dois cientistas, Richard Axel e Linda B. Buck, por suas descobertas sobre os receptores odoríficos e a organização cerebral do sistema olfativo, o que mostra a atual importância desta área para a ciência.

Óleos essenciais específicos estão sendo utilizados no tratamento de pacientes com problemas na área da memória e mesmo em casos de amnésia total, Mal de Alzheimer e Demência Vascular.

Os métodos de aplicação mais comum na prática da aromaterapia são: pulverização e difusão aérea, inalação, compressas, banhos e massagens. O modo mais adequado a ser empregado é definido de acordo com a prescrição do médico ou profissional especialista, levando-se em conta a substância a ser utilizada.

Alguns óleos essenciais e suas propriedades:

1. ALECRIM (Rosmarinus officinalis): usado principalmente para artrite, cansaço mental, fraqueza geral, perda de memória, dores nas juntas, piolho, sarna, asma e bronquite.

Nas esferas mental e emocional: utilizado quando há um esforço mental excessivo. Ajuda a revitalizar as células cerebrais, fortalece a mente nos casos de esgotamento. Além de estimular a memória, promove estado de alerta e atenção para o estudo e trabalho.

2. CANELA (Cinnamomum zeylanicum): utilizado como diurético, analgésico, poderoso antisséptico, antiprurido e antiespasmódico. É indicado para estimular a digestão e a circulação, em gripes, infecções intestinais, impotência, constipação, náusea, cálculo renal, dores musculares e estresse. É conhecido popularmente por seu poder estimulante sob o aspecto físico e emocional.

3. EUCALIPTO (Eucalyptus globulus): aplicações do óleo: potencial antisséptico, antiviral, expectorante, estimulante do sistema respiratório, anti-inflamatório, adstringente e ativa a circulação. É indicado para tratar bronquite, asma, tosse, catarro, resfriado, diabetes, sinusite. Pesquisas demonstram seu poder de controle do crescimento bacteriano in vitro. É muito utilizado para reequilibrar distúrbios respiratórios, pois o óleo de eucalipto relaxa a musculatura dos brônquios e desinfeta as vias aéreas superiores.

Nas esferas mental e emocional: o óleo de eucalipto é indicado para pessoas pessimistas e com pensamentos fixos e negativos. Favorece a concentração e clareia a mente e as ideias.

Quando combinado com alecrim e hortelã é indicado para dificuldades respiratórias (asma, bronquite, sinusite); com manjerona, para dores no nervo ciático; e com lavanda, para coriza, dor no tórax e resfriados.

Lavanda

4. PATCHULI (Pogostemon cablin ou Pogostemon patchuli): aplicações do óleo: anti-inflamatório, cicatrizante, descongestionante, regenerador, fungicida e repelente de insetos. É indicado na fadiga mental, obesidade, retenção hídrica.

Nas esferas mental e emocional: o aroma do óleo essencial de patchuli exerce ação nos centros psíquicos, estimula o sistema nervoso central, ajuda na depressão, no estresse, na ansiedade, resgata     lembranças da juventude e estimula a criatividade. Sua ação nas glândulas endócrinas ajuda a melhorar a libido. Equilibra a mente, favorecendo o foco. Ajuda a perceber os problemas com mais clareza e proporciona mais objetividade ao raciocínio.

5. LAVANDA (Lavandula officinalis ou Lavandula angustifolia ou Lavandula vera): é considerado antiestresse por seu efeito sedativo no sistema nervoso central e auxilia a relaxar a mente, o corpo e as emoções. É importante ressaltar que o óleo de lavanda é o único que pode ser aplicado na pele sem diluição prévia, ou seja, puro.  O óleo de lavanda restaura o equilíbrio mental, harmoniza os sentimentos, traz a consciência da realidade e a paz e exerce ação imediata no corpo e na mente devido à sua elevada vibração.

6. CHAMOMILA ROMANA (Anthemis nobilis): seu aroma calmante neutraliza a agressividade e a raiva, eliminando mágoas no coração. Dissolve estados críticos e preconceituosos nas pessoas trabalhando o perdão. Conecta com a energia angelical dentro de cada ser humano, despertando a alegria por viver, ajudando nos estados depressivos e na falta de esperança. Além disso, é útil em insônia e ansiedade.

Formas de uso:

Os óleos essenciais podem ser utilizados individualmente ou de forma combinada. Você pode escolher de um óleo a três óleos para fazer uma sinergia. Os óleos essenciais também poderão ser usados em aromatizadores elétricos ou não. No aromatizador, coloque de 10 a 15 gotas no total do(s) óleo(s) escolhido(s). Enquanto trabalha ou estuda, deixe o aromatizador funcionando e a inalação do aroma no ambiente permitirá que o efeito ocorra.

Vale a pena utilizar este maravilhoso e agradável recurso terapêutico para o equilíbrio da mente e do corpo que a Aromaterapia oferece!

Elly Tuchler
Médica Acupunturista
www.acuhomeo.com
(407) 373-0606