Após tragédias Orlando mantém-se unida, na fé

Após tragédias Orlando mantém-se unida, na fé

voltar

JUN/16 – pág. 04 e 06

Episódios trágicos, em apenas quatro dias, deixando a cidade enlutada. Tragédia na boate “Pulse” – 49 mortos e 53 feridos; o assassinado da cantora Christina Grimmie, do The Voice, e a morte de garotinho, atacado por um alligator

especial_orlando

Os fatos trágicos ocorridos no mês de junho de 2016 – entre dia 10 e 14 – em Orlando, foram termômetros de alerta aos cidadãos de bem, mediante a degradação de valores éticos, em algumas situações. A aceitação ou discussão em torno de certos temas como o homossexualismo, o ciúme exacerbado que se transforma em obsessão, são alguns dos exemplos de mudança de comportamento frente a assuntos, antes considerados como tabus na maioria das culturas. Temáticas que se agravaram, enlutando famílias e comovendo o mundo pela insensatez impulsionada pelo ódio. Foram quatro dias que abalaram uma das cidades mais visitada do planeta, eleita a terra da Magia. Mas se por um lado as atrocidades causaram perplexidade, em outra extremidade uniu pessoas em uma corrente de amor e esperança, mantendo-as muito mais fortes e complacentes com as adversidades. O lema, “Orlando Strong”, “Orlando United”, “Love Orlando” acendeu as chamas da benevolência ao próximo, seja quem for, a que religião pertença. Não importa a raça, mas a certeza de que somos irmãos, testemunhas de um tempo de mecanização e desumanização. Na maioria das vezes, a união dos povos é derivada e alguma catástrofe. A equipe do “Jornal Nossa Gente” compartilha e integra esse movimento de fé e perseverança, por acreditar que somente por obra do amor possamos melhorar as relações humanas. E que a dor das famílias das vítimas dos quatro dias sombrios e de perdas receba o conforto de Deus; e que os obstáculos que dificultam a conquista de uma vida harmoniosa, sejam superados.

Foram três episódios trágicos, que ocorreram de forma sucessiva, em apenas quatro dias, deixando Orlando de luto. Relembrando, no dia 10 de junho, a cantora Christina Grimmie, de 22 anos, que participou de uma das temporadas do reality show The Voice, foi assassinada pelo jovem Kevin Loibl, de 21 anos, após o show na cidade, quando dava autógrafos no The Plaza. No dia 12 de junho, 49 pessoas foram brutalmente assassinadas e 53 ficaram feridas na Boate LGBT “Pulse”, vítimas do agressor, o tirano Omar Saddiqui Mateen, de 29 anos, um cidadão norte-americano muçulmano de origem afegã, que morreu durante troca de tiros com a polícia. As investigações sobre o pior massacre da história dos Estados Unidos continuam. Fontes da investigação suspeitam que Mateen estudava outros possíveis alvos, além da boate. As autoridades ainda investigam se ele teve ajuda de alguém. E no dia 14 de junho, um menino de dois anos de idade, que brincava às margens de um lago artificial de um hotel da Disney foi atacado por um alligator e arrastado para as águas. O corpo só foi encontrado dois dias depois da tragédia e encaminhado ao Instituto Médico Legal de Orlando. Os pais do garotinho tentaram tirá-lo da boca do alligator, um animal com um comprimento estimado em até dois metros, mas não conseguiram. A família é do Estado de Nebraska.

Visita Obama

A visita a Orlando do Presidente Barack Obama e seu vice, Joe Biden, em apoio às famílias das vítimas do massacre da madrugada e domingo – dia 12 – na Boate Pulse, serviu de alento aos que perderam seus entes queridos. Durante o tempo que em que esteve reunido com o grupo de sobreviventes da tragédia e de parentes dos mortos, no estádio Amway Center, o presidente falou sobre a dor “indescritível” das famílias e convocou os congressistas a que respondam “à altura” e votem a favor de propostas limitando a venda de armas no país. “Essas famílias são parte da família americana”, disse Obama, acrescentando que “nossos corações também estão destroçados. Podemos impedir tragédias. Podemos salvar vidas e se não reagirmos, veremos outros massacres como este”, alertou. Posteriormente, depositou flores em um memorial às vitimas.
A polícia americana continua os trabalhos de investigação para apurar detalhes da maior tragédia dos Estados Unidos, após o ataque ao World Trade Center, em Nova York, no dia 11 de setembro de 2001, quando ocorreu o massacre na Boate LGBT “Pulse”, resultando em 49 mortos e 53 feridos, vítimas do agressor Omar Saddiqui Mateen, de 29 anos, um cidadão norte-americano muçulmano de origem afegã, que morreu durante troca de tiros com a polícia. No passado, ele foi alvo de investigações por supostas ligações com redes extremistas.

A polícia ainda tenta descobrir o que motivou a matança na boate, em Orlando. Uma das linhas de investigação sugere que o matador, Omar Mateen, se radicalizou na internet e que era frequentador da boate gay onde ele fez o atentado. Testemunhas contaram à imprensa que viram Omar Mateen na boate “Pulse” outras vezes, antes do ataque de domingo, dia 12. Segundo os relatos, Omar costumava beber sozinho e, às vezes, ficava bêbado e agressivo. Um dos frequentadores disse que chegou a trocar mensagens com Omar por um aplicativo de encontros gays. Os investigadores também buscam detalhes sobre uma visita do atirador aos parques da Disney, em abril. Fontes da investigação suspeitam que Mateen estudava outros possíveis alvos, além da boate. As autoridades ainda investigam se ele teve ajuda de alguém.

Christina assassinada

especial_orlando3

A noite de 10 de junho, dois antes do massacre na Boate “Pulse”, o assassinato em Orlando da cantora Christina Grimmie, de 22 anos, que participou de uma das temporadas do reality show The Voice, foi um duro golpe para os fãs e familiares. Após o show na cidade ela estava dando autógrafos no The Plaza quando um rapaz se aproximou e atirou em Christina. O jovem Kevin Loibl que assassinou a cantora era obcecado por ela a ponto de se submeter a cirurgias plásticas para conquistar a ex-The Voice. O irmão da cantora conseguiu derrubar o agressor no chão e o autor dos disparos se matou durante a confusão. Ele tinha 21 anos de idade, carregava duas armas, balas e uma faca. Ele havia viajado de outra cidade da Flórida para Orlando com o objetivo de cometer o crime.

Christina foi levada a um hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu, e a polícia anunciou que está vasculhando todos os itens pessoais e a casa do criminoso para tentar entender os motivos que o levaram ao assassinato. Ela terminou a temporada de 2014 do reality show musical The Voice em terceiro lugar, e seu técnico foi Adam Levine, vocalista do Maroon 5, disse estar “triste, chocado e confuso” com o ocorrido.

Morte de garotinho

especial_orlando5

No dia 14 de junho ocorreu outra tragédia quando um menino de dois anos de idade que brincava às margens de um lago artificial de um hotel da Disney foi atacado por um jacaré e arrastado para a água. O corpo só foi encontrado, intacto, dois dias depois da tragédia e encaminhado ao Instituto Médico Legal de Orlando. Relatam testemunhas que na noite de terça-feira (14), o menino, o pai, a mãe e a irmã de quatro anos passeavam na orla da lagoa Seven Seas, em frente ao hotel, quando a criança, surpreendentemente, foi atacada. A irmã da vítima brincava em um cercadinho que estava a uma distância entre 20 metros e 30 metros da água. Já o menino, segundo o xerife Demings, estava na parte rasa da lagoa. Há placas no local alertando que é proibido nadar na área. O xerife disse que ninguém além da criança estava na água no momento do ataque. Os pais do garotinho tentaram tirá-lo da boca do jacaré, um animal com um comprimento estimado em até dois metros, mas não conseguiram. A família é do Estado de Nebraska.

A Comissão de Preservação de Peixes e Vida Selvagem da Flórida colocou à disposição agentes e armadilhas para capturar o animal que arrastou a criança. De acordo com autoridades locais, não havia relatos recentes de incidentes envolvendo jacarés na região.


WaltherAlvarenga

Walther Alvarenga