Apesar de Kerry sinalizar interesse dos EUA, isenção de visto deve demorar

Apesar de Kerry sinalizar interesse dos EUA, isenção de visto deve demorar

Em visita ao Brasil, secretário de Estado americano afirmou que seu país tem interesse em facilitar a entrada de brasileiros

Pouco antes da visita de Kerry ao Brasil, uma comitiva técnica brasileira foi aos Estados Unidos para ouvir explicações sobre espionagem Foto: Antônio Cruz / Agência Brasil
Pouco antes da visita de Kerry ao Brasil, uma comitiva técnica brasileira foi aos Estados Unidos para ouvir explicações sobre espionagem
Foto: Antônio Cruz / Agência Brasil

Um dos temas centrais do encontro entre o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, e o secretário de Estado americano, John Kerry, a isenção da exigência de vistos para a entrada de cidadãos brasileiros nos Estados Unidos não deve ser anunciada a tempo da visita oficial que a presidente Dilma Rousseff fará a Washington, em outubro. Em entrevista coletiva nesta terça-feira, tanto Kerry quanto Patriota reconheceram avanços no debate da questão, mas avaliaram que ainda há um longo caminho a ser percorrido.

“Queremos que mais brasileiros venham aos Estados Unidos, e é do nosso próprio interesse facilitar esse processo. Reduzimos a cinco dias ou menos o prazo para entrevista. Queremos continuar consultas muito próximas com o Brasil porque temos certas exigências jurídicas. Ainda temos caminho a percorrer, é possível chegar lá. Vamos percorrer esse caminho juntos”, discursou Kerry.

Segundo Patriota, o Itamaraty trabalha junto ao governo americano com uma série de iniciativas para facilitar a entrada de brasileiros nos Estados Unidos. Uma das medidas mais avançadas é relativa ao Global Entry, mecanismo diplomático que agilizar a entrada de executivos que viajam recorrentemente aos EUA. “Uma declaração (sobre o Global Entry) poderá ser acordada ainda no mês de setembro. Os progressos têm sido encorajadores e poderemos ter algum resultado a anunciar”, afirmou Patriota. O ministro, no entanto, preferiu não fazer nenhuma previsão em relação ao fim da exigência de vistos. “Visto é uma questão mais complexa, e precisa de mais tempo para ser debatido”, argumentou.

Em maio, durante visita ao Brasil, o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou que o governo americano pretendia se empenhar para reduzir o tempo para a emissão de vistos aos brasileiros. Seria mais um passo em direção a uma potencial isenção de vistos. Na ocasião, Biden afirmou que havia conversado com o embaixador dos EUA no Brasil, Thomas Shannon, pedindo que o tempo para a emissão de vistos fosse reduzido de 12 semanas para dois ou três dias.

Fonte: terra.com.br