Alegria, com Jesus

Alegria, com Jesus

Edição de fevereiro/2020 – p. 26

Alegria, com Jesus

“22 Bem-aventurados sereis quando os homens vos aborrecerem e quando vos separarem, e vos 23 injuriarem o vosso nome como mau, por causa do Filho do homem. Folgai nesse dia, e exultai; porque eis que é grande o vosso galardão no céu, pois assim faziam os seus pais aos profetas.” (Lc 22-23).

“BEM-AVENTURADOS” – Felizes, venturosos. Isto acontece com todos aqueles que se enquadram nos ensinamentos do versículo.

“SEREIS” – Exposto em termos futuros, pois só à medida que tomamos conhecimento de uma instrução e a sentimos, que ela repercute em nosso íntimo, é que passamos a experimentar os resultados que podem ser bons ou maus.

“OS HOMENS” – Filhos de Deus, nossos irmãos. A disponibilidade que ocorre entre as criaturas se deve ao fato de estarem todas em evolução, portanto, cada uma em seu nível. O nosso entendimento corresponde sempre ao grau de nossa evolução. Quanto mais evoluído o ser, mais paciência, mais compreensão ele tem. E é natural que os mais desenvolvidos espiritualmente falando sejam os mais sintonizados com o pensamento cristão, alvos, por isso mesmo, das reações negativas dos que não encaram a vida de igual maneira.

“VOS ABORRECEREM” – Colocar à margem, não dispensar consideração, congelar, o que pode se dar com a pessoa e ou com a mensagem. Enquanto os outros nos desprezam é uma coisa, mas, quando o fazem com a mensagem é muito grave a situação. Enquanto a dificuldade é pessoal, ela pode e quase sempre é também nossa. Quando é com a mensagem fiel, transmitida de modo bem-intencionado, a dificuldade e, nesse caso, responsabilidade é de terceiros.

“E VOS INJURIAREM,” – Injuriar: difamar, insultar, ofender. Podem falar todo o mal acerca de quem se esforça por ser discípulo de Jesus. Ninguém foi mais ofendido do que o Filho de Maria. Entretanto, não se rebelou. Continuou calmo, sereno e confiante em Deus o seu trabalho. O discípulo, apesar de tudo, tudo precisa fazer para prosseguir na tarefa, tendo como incentivo o exemplo do próprio Mestre.

“E REJEITAREM” – Rejeitar: lançar fora, não admitir, repelir.

“O VOSSO NOME COMO MAU” – Não se refere à designação da pessoa, como Maria, José ou Antonio. Mas, à de “homem do caminho”, naquele tempo e, mais tarde, cristão, ou seguidor de Cristo, conforme a sugestão de Lucas.

“POR CAUSA DO FILHO DO HOMEM” – Seguir alguém pode ser acompanhá-lo por uma rua ou estrada, mas, também, por em prática os seus ensinamentos. Assim estavam e continuam procedendo os seguidores do Divino Mestre. No esforço de viver o seu Evangelho, vão se tornando diferentes, e, por isso, passam a ser alvos de toda a sorte de problemas por parte daqueles que, conscientes ou inconscientemente, não aderem às mesmas idéias e aos mesmos ideais. Importa, porém, prosseguir na prática do bem.

“Folgai nesse dia, e exultai; porque eis que é grande o vosso galardão no céu, pois assim faziam os seus pais aos profetas.” (Lc 6:23).

“FOLGAI” – Alegrar, experimentar grande alegria pelo fato de passar por tudo aquilo com equilíbrio, sem se envolver, sem se comprometer.

“NESSE DIA” – Quando isso acontecer. Tudo tem a sua hora. Mais cedo ou mais tarde seremos levados ao testemunho, como teste indispensável.

“E EXULTAI;” – Regozijar-se. Como o verbo anterior, no imperativo. Exultar è um jubilo que vem dentro da pessoa, expressando-se de modo a envolvê-la toda, no que se relaciona à vibração própria desse estado.

“PORQUE” – O Mestre vai passar à exposição do motivo porque assim devemos proceder.

“EIS QUE É GRANDE O VOSSO GALARDÃO NO CÉU,” – O sentido é presente, porque o beneficio espiritual do bem é imediato. “Grande”, porque extenso e profundo. “O vosso”, porque de cada um, individual. “galardão”, prêmio, recompensa. “No céu”, do coração, revelado pelo estado íntimo.

“POIS, ASSIM FAZIAM” – Quer dizer, procediam de igual modo; tinham reações semelhantes em face de idéias novas ou comportamentos também novos.

“OS SEUS PAIS” – Não genitores, no caso, mas ancestrais ou antepassados, os quais poderiam ser os mesmos espíritos em reencarnações diversas. Ontem perseguindo, aborrecendo, injuriando, rejeitando; hoje, buscando converter-se ao Evangelho, submetidos à mesma prova. É para se folgar e exultar, já que se trata de uma quitação, com a conseqüente libertação.

“AOS PROFETAS” – Os profetas de Israel eram arautos da verdade, pregando o Deus único e a necessidade de se observarem os seus mandamentos. Geralmente, eram portadores de ostensivas faculdades mediúnicas. Durante sua vida conheceram altos e baixos, ora consagrados pelas autoridade e o povo, ao por eles perseguidos, maltratados e até sacrificados. Dentro da lei de causa e efeito, os perseguidores do passado, seriam os perseguidos do presente. A lei de causa e efeito encontra-se bem clara no Evangelho: “Então Jesus disse-lhe (a Pedro): ‘Mete no seu lugar a tua espada; porque todos os que lançarem mão da espada, à espada morrerão’”. (Mt 26:52).