Admirável vinho novo

Admirável vinho novo

Austrália e Nova Zelândia fazem parte dos novos territórios viticultores que abalam as estruturas dos produtores tradicionais, com vários rótulos ocupando posições dentre os top 100 melhores do mundo. Inovação e condições geográficas específicas trazem personalidade e sabores únicos aos vinhos desses territórios. Na coluna deste mês, descubra mais da história e desenvolvimento da identidade dessas lindas regiões, bem como alguns dos nossos exemplares favoritos

Edição de julho/2018 – p. 42

Apenas 30 anos separam a história enológica da Austrália e da Nova Zelândia, que começou aproximadamente no final do século XVIII. O primeiro vinhedo plantando na Austrália foi de vinhas oriundas do Rio de Janeiro (!) e do Cabo da Boa Esperança. O solo rico e clima úmido de Sydney não foram favoráveis à fabricação de vinho, mas os incansáveis australianos levaram plantas para zonas mais ao norte de Sydney e tiveram maior sucesso por lá, dando início assim a indústria enológica local, com varietais de Cabernet Sauvignon, Pinot Gris, dentre outros. James Busby foi o grande pioneiro na produção de vinho em ambos países, com registros que datam de 1840 na Nova Zelândia, referindo-se aos vinhos produzidos a partir de sua plantação em Waitangi. Porém regulamentações estritas, proibição e guerras atrasaram o desenvolvimento da cultura enológica em ambos países que tinham sua limitada produção distribuída praticamente de forma exclusiva para o mercado interno. Foi apenas há 40 anos que o resto do mundo foi introduzido aos incríveis exemplares desses territórios.

Apesar de a produção australiana ter suas bases em vinhos doces, normalmente fortificados, a utilização de técnicas tradicionais europeias elevou a qualidade dos vinhos aí produzidos passando assim a destacar a unicidade das uvas plantadas em seu território.

Áreas como Barossa Valley, de clima seco e quente despontaram na produção de uvas escuras, maduras e robustas, gerando os inconfundíveis Shiraz (Syrrah) australianos.

Curiosamente, os vinhos mais populares e baratos do país veem de regiões vizinhas, criando o grande paradoxo da indústria enológica local: ao mesmo tempo em que se encontra vinhos de altíssima qualidade e preços, como Chris Ringland Three Rivers Dry-Grown Shiraz (aproximadamente $700USD por garrafa), é possível entrar num posto de gasolina aqui na Flórida e encontrar uma garrafa do famoso Yellow Tail Shiraz por $4.98USD. Claro que os processos industriais utilizados na produção desses vinhos baratos comprometem a qualidade da bebida, mas não impedem a popularidade e sucesso econômico desses rótulos – a Austrália é a 5a maior exportadora do mundo, graças em parte a essa dicotomia da produção em massa versus exclusividade e refinamento de alguns de seus produtores mais renomados.

Já a Nova Zelândia deve toda sua personalidade enológica ao seu clima marítimo fresco, com vinhedos mais ao sul do globo, e seus solos variados mas em maioria com traços de barro e cascalho. Em consequência, vinhos neozelandeses apresentam inconfundíveis notas herbáceas e frutadas, com grande destaque ao Pinot Noir de Martinborough e Sauvignon Blanc de Marlborough. Essa singularidade de sabores reflete claramente na economia: a Nova Zelândia é hoje o 3o maior exportador de vinhos para os Estados Unidos, sendo o 2o maior de vinhos brancos. Esse número é extremamente relevante quando consideramos que o país produz menos de 1% de todo vinho do mundo.

Com base no descrito anteriormente, veja a seguir alguns rótulos que acreditamos representar fielmente o melhor que essas regiões têm a oferecer:

 

AUSTRÁLIA

  • Penfolds Koonunga Hill Shiraz 2016 : $11USD
  • First Drop Mother’s Milk Shiraz 2015 (Barossa Valley): $20USD
  • Yalumba Old Bush Vine Grenache 2016 (Barossa Valley): $20USD
  • Jacob’s Creek Chardonnay Reserve 2015 (Adelaide Hills): $15USD
  • Jim Barry The Lodge Hill Dry Riesling 2016 (Clare Valley): $20USD
  • Miles From Nowhere Chardonnay 2017 (Margaret River): $13USD

NOVA ZELÂNDIA

  • Villa Maria Private Bin Pinot Noir (Marlborough): $19USD
  • Fire Road Pinot Noir (Marlborough): $15USD
  • Palliser Pinot Noir (Martinborough): $35USD
  • Kim Crawford Sauvignon Blanc (Marlborough): $18USD
  • Cloudy Bay Chardonnay (Marlborough): $35USD
  • Kia Ora Sauvignon Blanc (Marlborough): $9USD
  • Cottesbrook Gewürztraminer (Canterbury): $13USD