Açúcar x Saúde

Açúcar x Saúde

voltar

MAR/14 – pág. 65 e 66

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Entre médicos e a população em geral, sabe-se que a ingestão excessiva de açúcar é prejudicial à saúde.

O açúcar não está presente apenas em doces, frutas, refrigerantes e laticínios, mas também em alimentos salgados como pães, massas, raízes e grãos que se transformam em glicose dentro do organismo. A diferença entre eles está na velocidade com que cai na corrente sanguínea: o doce leva poucos segundos, enquanto as moléculas dos demais podem demorar até uma hora para serem quebradas.

Apesar dos riscos, o açúcar não é apenas um vilão: a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que ele responda por 10% do consumo total de calorias diárias. Não se recomenda usar mais de quatro colheres de sopa ao dia, o equivalente a 50 gramas. Porém, o que pouca gente sabe é que alimentos aparentemente vendidos como “saudáveis”, na verdade, contêm altas doses da matéria-prima. Segundo pesquisa realizada por cientistas americanos e publicada em 2012, o consumo mundial do açúcar triplicou nos últimos 50 anos e está ligado a inúmeras doenças, como obesidade, cárie dentária, diabetes, problemas cardiovasculares e câncer.

E, uma vez ingerido, para onde vai este excesso?

  • depósito de gordura corporal nas vísceras, órgãos, sistemas;
  • maior demanda de energia metabólica (estresse metabólico) para contornar as desarmonias energéticas geradas;
  • envelhecimento precoce, pois a célula só usa o que necessita, todo o resto passa a ser um “estorvo” metabólico;
  • estímulo excessivo do pâncreas;
  • depressão do sistema imunológico, incluindo problemas como doenças repetitivas; desmineralização orgânica, incluindo problemas de anemia, dentes e ossos; subnutrição pela depressão de enzimas digestivas, portanto, pobre aproveitamento e fixação de nutrientes;
  • problemas digestivos, gases, constipações, etc.

Nova campanha da ONG – Action on Sugar – elaborou uma lista em que figuram alguns alimentos que “escondem” grandes quantidades de açúcar. O objetivo, além de conscientizar o público, é pressionar os fabricantes a reduzir a quantidade do subproduto da cana. Boa parte do açúcar consumido pelas pessoas está “escondida” em alimentos processados, alerta a OMS. Conheça alguns desses alimentos:

1 – Alimentos com 0% de gordura – iogurte: esses alimentos não possuem, necessariamente, 0% de açúcar. Nos iogurtes, o açúcar normalmente é adicionado para dar sabor e cremosidade, pois a gordura foi removida. Um iogurte de 150 gramas com 0% de gordura pode ter, por exemplo, até 20 gramas de açúcar – o equivalente a cinco colheres de chá, alerta a Action on Sugar. Esse valor equivale à metade da quantidade diária de açúcar recomendada para mulheres, que é de 50 gramas. Nos homens, a taxa diária é um pouco superior: 70 gramas.

“O problema é que as pessoas que compram comida com 0% de gordura querem consumir um alimento com um gosto semelhante ao de 100% de gordura”, afirma a nutricionista Sarah Schenker. “Para adequar seus produtos ao paladar dos clientes, os fabricantes adicionam açúcar quando a gordura é retirada. Se as pessoas querem alimentos mais saudáveis, precisam aceitar que eles tenham uma aparência e um gosto um pouco diferente”, acrescenta Schenker.

2 – Polpa de tomate: polpas de tomate – feitas a partir de tomates frescos – possuem inúmeros nutrientes, mas aquelas compradas em mercados, normalmente enlatadas, podem conter muito açúcar. O ingrediente é normalmente adicionado para que a polpa fique menos ácida. Um terço de uma lata de 150 gramas, por exemplo, pode ter até 13 gramas de açúcar, valor equivalente a três colheres de chá. Uma colher de sopa de ketchup tem o equivalente a uma colher de chá de açúcar.

3 – Maionese: produtos que contenham maionese são inimigos de quem quer combater o consumo excessivo de açúcar. Uma colher pode conter até quatro gramas do ingrediente. “Molhos, em geral, contêm grande quantidade de açúcar”, afirma Schenker.

4 – Água: depende do tipo. Alguns tipos de “águas vitaminadas” têm adição de açúcar. Um copo de 500 ml de algumas marcas pode conter até 15 gramas de açúcar, o equivalente a cerca de quatro colheres de chá, diz a Action on Sugar.

5 – Pão: pão é um dos alimentos que mais “escondem” açúcar, destaca a ONG. Uma fatia de pão processado pode ter, em média, até três gramas de açúcar. O açúcar presente no pão, aliás, é normalmente formado no processo natural de fermentação, mas também pode ser adicionado durante a fabricação do alimento. “Não é porque o alimento é salgado que ele tem baixo teor de açúcar”, lembra Schenker.

  • 1 pão francês contém 2 colheres de sobremesa de açúcar.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

6 – Refrigerantes: uma lata de refrigerante comum tem até 40 gramas de açúcar, ou seja, 2 colheres de sopa de açúcar.

7- Chocolate em pó: 1 colher de sopa de achocolatado contém 1 colher de sopa de açúcar.

8 – 1 barra de cereais contém 1/2 colher de sopa de açúcar.

9 – 1 xícara de cereal contém 1 colher de sopa de açúcar.

10 – 3 esfihas pequenas de carne moída têm 1 colher de sopa de açúcar.

11 – 3/4 de xícara de granola contêm 1 colher de sopa de açúcar.

12 – 1 pote de iogurte contém 2 colheres de sobremesa de açúcar.

13 – 2 bolas de sorvete contêm 1 colher de sopa de açúcar.

14 – 1 copo de suco de laranja industrializado contém 1 colher de sopa de açúcar.

Para reprogramar o paladar, o mais recomendado é diminuir gradativamente a quantidade de açúcar em seu hábito alimentar. Em determinado momento, apenas pequena quantidade de açúcar será suficiente para adoçar. Sugestão para as mães: procurem não adoçar os líquidos e alimentos, deixem o paladar se acostumar com os sabores naturais dos alimentos.

Em geral, dar preferência aos açúcares de índice glicêmico baixo, ou seja, àqueles que são absorvidos mais lentamente, evitando desta forma picos de insulina, como produtos não processados: mel puro, agave, puro mapel syrup, stevia e melado sem sulfito. Dessa forma, você manterá mais facilmente seu peso e sua saúde.

Até a próxima!

Elly Tuchler
Médica Acupunturista
www.acuhomeo.com
(407) 373-0606