Abandonar pai e mãe

Abandonar pai e mãe

Edição de março/2020 – p. 26

Abandonar pai e mãe

“E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por amor do meu nome, receberá cem vezes tanto, e herdará a vida eterna.” (Mt 19:29).

“E Jesus, respondendo, disse: Em verdade vos digo que ninguém há, que tenha deixado casa, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou campos, por amor de mim e do Evangelho, 30 Que não recebe cem vezes tanto, já nestes tempo, em casas, e irmãos, e irmãs, e mães, e filhos, e campos, com perseguições; e no século futuro a vida eterna.” (Mc 10:29-30).

A lição é do desapego, da renúncia consciente, sabendo que acima de tudo, somos filhos de Deus e, portanto, irmãos uns dos outros. Quem entende e se conduz desta forma, não tem ciúmes nem desconfianças. Como a viúva pobre dá tudo, porque sabe que o necessário jamais lhe faltará.

“CASAS” – Sai da concha do egoísmo. Lembra que Jesus nasceu numa estrebaria, num recinto sem paredes. Rabibdrará Tagore, numa prece, pede para viver num mundo sem paredes, nem muros. Universalismo dos conceitos. Para quem age assim muitas casas acabam se abrindo para ele. Acolhida geral. Simpatia irrestrita. Apoio individual e coletivo. Todos fecham a casa para que tem a sua como fortaleza inexpugnável.

“IRMÃOS” – Transcende a família consanguínea. Trata a todos como irmãos e como tal, é tratado. Entendimento no campo da razão.

“IRMÃS” – Idem, idem, compreensão no campo do sentimento.

“PAI” – Não se fala em retribuição, em prêmio. A designação de “Pai” é usada pelo homem como deferência, o que lhe recorda a responsabilidade de ser co-criador. Quanto ao mais, fica tudo a cargo do Pai Eterno, justo e bom. O homem renovado é pai de si mesmo.

“MÃE” – Quem respeita os mais velhos, procura compreendê-los, acaba cativando muitas criaturas com as suas atitudes, as quais passam a olhá-lo com afeto.

“MULHER” – Para esposa não há correspondência, porquanto o Evangelho prega o equilíbrio em todos os sentidos, inclusive do sexo. E, como é obvio, ele é a favor da monogamia como um estágio evolutivo mais avançado sobre a poligamia.

“FILHOS” – Também sob este aspecto impõe-se ultrapassar os laços consanguíneos, enxergando cada criança, cada menor, cada pessoa menos experiente como merecedora de nossa orientação e proteção.

“E CAMPOS” – De tudo desfrutando e a nada se apegando, a gente é mais feliz, e vive com menos preocupações. Há, porém, pessoas que só sabem usufruir de algo se aquilo lhe pertence. Não sendo assim, tudo é frustração. Ideia tola. Precisamos aprender a nos deliciar com as coisas mesmo que sejam dos outros ou públicas.

Com relação a todos itens que pudessem ser comentados, frisamos que, por um impositivo da lei de causa e efeito, se alguém tem e sabe usar, mais terá. Se tem e não se utiliza com acerto tudo vem a perder.

“POR AMOR DO MEU NOME” – Não se trata de pessoa, mas de Jesus Doutrina, corpo doutrinário, que se precisa seguir, pôr em prática.

“POR AMOR DE MIM” – Da pessoa dele (Jesus) que deve ser sempre lembrada como o Messias, o modelo e guia da humanidade, o Caminho, a Verdade e a Vida.

“DO EVANGELHO” – O Livro de Normas que, se exemplificadas, asseguram o céu para a criatura, céu que é paz e tranquilidade de espírito, baseadas numa fé consciente, viva e dinâmica.

“RECEBERÁS CEM VEZES TANTO” – A Lei de causa e efeito é justa. Recebemos de acordo com o que damos.

“COM PERSEGUIÇÕES” – Agora, porque, quem procede como relacionamos, sendo mal compreendido pela ignorância, passará a ser alvo de críticas, zombarias e calúnias, contudo importa perseverar.

“NO SÉCULO FUTURO” – Em consequência, em cumprimento da lei. O destino está́ nas nossas mãos. O amanhã dependerá de hoje. Escrevemos agora o nosso futuro.

“E HERDARÁ A VIDA ETERNA” – Futuro, porque virá depois, em consequência, dependendo de se fazer por onde, de merecer.