A música de Doug Sander, o brasileiro que faz carreira pelos Estados Unidos

A música de Doug Sander, o brasileiro que faz carreira pelos Estados Unidos

Edição de abril/2018 – p. 30 e 42

Primeiro ele juntou colegas de classe e montou banda cover. Tempos depois foi com as bandas de baile que ganhou experiência musical, até receber a proposta de embarcar em navio de cruzeiro e conhecer a Europa e Estados Unidos. De lá para cá, Doug Sander, músico paulista, residente nos Estados Unidos há cinco anos, nunca mais deixou a música. Vivendo nos Estados Unidos, Doug foi convidado em abril de 2016 a abrir o show de Johnny Rivers, no Lynn Auditorium, em Boston. Em agosto do mesmo ano, também em Boston, Doug se apresentou ao lado de Gian, da dupla Gian & Giovani.

Com dois trabalhos autorais lançados nos anos de 2004 e 2005, Doug reuniu material suficiente e agora se prepara para gravar um no trabalho, ainda sem data de lançamento. Segundo ele, o trabalho vem sendo gravado em seu home studio, para posteriormente seguir para o Studio 94 US, onde serão gravados voz e violão. Confira a seguir entrevista com Doug Sander, onde conta um pouco de sua trajetória musical, bem como sobre o trabalho em fase de produção.

Nossa Gente – Como iniciou sua carreira musical?
Doug Sander – Iniciei minha carreira musical ainda nos tempos de escola, no ano de 1994, com aproximadamente quatorze anos. Reuni os colegas de classe e formamos uma banda para tocarmos Bon Jovi. Como a escola tinha um palco no pátio, nos apresentávamos naquele espaço. Todos éramos muito jovens e não tínhamos nenhum conhecimento musical, mas foi o suficiente para saber que aquela seria a profissão que eu seguiria.

NG – Por quanto tempo tocaram covers do Bon Jovi?
DS – Por aproximadamente dois anos. Depois de então, com mais conhecimento musical, comecei a fazer aulas de canto, e então montei uma banda de baile para tocarmos todos os estilos musicais. Foi com esse trabalho que adquiri mais experiência de palco e como músico. Já no violão, sou autodidata. A banda de baile trabalhou aproximadamente por cinco anos, quando fui convidado para trabalhar em navio de cruzeiros.

NG – Como foi esse trabalho?
DS – Partindo do Brasil no ano de 2001, e o navio fazia cruzeiros na Europa e Estados Unidos. Trabalhei a bordo até o ano de 2006, conhecendo países como Espanha, França, Itália, Malta, Portugal, Jamaica e Costa Rica dentre muitos outros. Adquiri muita experiência, uma vez que tocávamos todos os gêneros musicais, praticamente todas as noites.

NG – Quando surgiu o interesse em investir em trabalho autoral?
DS – Antes mesmo de registrar meus trabalhos autorais eu já compunha. Acredito que tenha mais de trezentas composições. Quando comecei a preparar o meu primeiro CD já tinha bastante material separado, o suficiente para fazer um disco consistente. Em meados de 2004 lancei ‘All I Ever Dreamed’, que também foi disponibilizado para streaming em plataformas digitais como iTunes, Google Play, Deezer, Amazon Music e Spotify. Contendo doze faixas, todas de minha autoria, ‘All I Ever Dreamed’ abriu as portas para meu trabalho como compositor. Todos os músicos que participaram desse primeiro trabalho eram músicos de estúdio e, dessa forma, foi relativamente rápido e fácil realizar a produção.
Em 2005 lancei um CD voltado para o mercado de Hard Rock, intitulado ‘I Wanna Get Crazy’, e que também foi uma grande experiência.

NG – Foram as suas primeiras experiências como produtor?
DS – Não, eu já havia produzido anteriormente um CD de covers, que mesmo não tendo sido comercializado, me valeu pela experiência em realizar todo o processo de produção musical e executiva. No ano de 2008 iniciei um trabalho de dupla sertaneja com Carlos Pitty, compositor da música ‘Alo Porteiro’, que se tornou um sucesso na voz da cantora Marília Mendonça. Com Carlos Pitty gravamos um trabalho com a produção de Ney Marques, músico que trabalhou com o cantor Leonardo. Foi outra experiência muito valiosa.

NG – No ano de 2016 você abriu o show de Johnny River, além de realizar shows com Gian, da dupla Gian e Giovani. Foram dois momentos especiais em sua carreira, não é?
DS – Foram momentos inesquecíveis em minha carreira. Cresci ouvindo Johnny Rivers e Gian e Giovani. Anos mais tarde acabei sendo convidado para abrir o show de Johnny Rivers, que é o ícone da música dos anos 60, bem como fazendo parceria com o Gian, com shows em New Jersey, Delaware, Connecticut, Massachussets e Peensylvania. Agora, com a volta da dupla Gian e Giovani, fui convidado novamente, desta vez para abrir os shows deles aqui nos Estados Unidos.

NG – No mesmo ano de 2016 você lançou um single, correto?
DS – Exato, em 2016 lancei o single ‘Willing To Give Myself To You´, um Country Pop que foi muito bem recebido pelas plataformas digitais.

Novo Trabalho

NG – Treze anos sem gravar, você agora prepara um novo CD. Comente sobre a produção do novo trabalho.
DS – Venho separando e preparando as faixas que farão parte desse novo CD. As bases estão sendo gravadas em meu home studio e as coberturas de voz e violão serão feitas no Studio 98 US, ao comando do meu amigo Guilherme Tettamanti. Minha intenção é também mixar no Studio 98 US, uma vez que Guilherme já trabalhou com grandes nomes da música brasileira, como Paula Fernandes, Paralamas do Sucesso e Aline Barros dentre outros. A experiência dele faz toda a diferença em uma mixagem.

NG – Quantas músicas serão gravadas?
DS – Espero preparar de dez a doze músicas, mas como tenho muito material, é possível que esse número aumente.

NG – Qual a linha musical que seguirá com o novo trabalho?
DS – Novo trabalho seguirá uma linha mais Pop, com pitadas de Country Music. Estamos preparando um single, para lançamento muito em breve.

NG – Pode adiantar alguma coisa sobre o single?
DS – Sim, para muito em breve estarei lançando o single ‘Can’t You See?’, com a participação de convidados como Kiko (guitarrista do Roupa Nova), Maurício Marques  (tecladista, que trabalhou com Gal Costa) e Sallaberry (bateria e programações, que segue carreira solo). O trabalho estará disponível muito em breve para streaming nas plataformas digitais como iTunes, Google Play, Deezer, Amazon Music e Spotify e será amplamente divulgado.

NG – O CD terá a participação de convidados?
DS – Sim, teremos uma faixa com a participação de um grande cantor country lá de New Jersey, Lucas Matt. Ele fará participação na faixa que compusemos juntos em New Jersey em 2017.

NG – Você tem planos de excursionar após o lançamento?
DS – Sim, após o lançamento do cd, já temos algumas datas pre-agendadas na California, Georgia, Maryland, New York, New Jersey, Delaware , Texas, Connecticut e Massachussets, bem como na Europa, em países como Portugal, Espanha, Slovenia e Croácia.

NG – Você investe bastante em redes sociais e tem muitos seguidores renomados!
DS – Sim, é indispensável o investimento de esforços nessa área, uma vez que o mundo está totalmente voltado para elas. No Instagram, por exemplo, tenho amigos seguidores como Rubinho Barrichello, Galvão Bueno, Dudu Nobre, Kiko do Roupa Nova, Diego Faria, Gian (Giovani), Wilie de Oliveira (Radio Taxi), além de artistas da música internacional, como Bon Jovi dentre outros. O trabalho continua.

Serviço
Instagram @dougsander
Shows: (617) 756-8351