70% das populações de países vacinadas até 2022; acordo de líderes do G20

Encontro entre líderes do G20 debate vacinação de 70% da população dos países até 2022

 

O tema primordial que será debatido entre os líderes do G20 é o de vacinar 70% da população de cada um dos países até meados de 2022. A proposta que vem sendo negociada nos últimos dias por diplomatas dos governos que fazem parte do bloco prevê um compromisso entre as maiores economias do planeta para colocar fim à fase mais aguda da pandemia

 

Da Redação

Um dos objetivos do encontro de líderes mundiais neste sábado em Roma, durante o G20, é o tema primordial que será debatido, de vacinar 70% da população de cada um dos países até meados de 2022. A proposta que vem sendo negociada nos últimos dias por diplomatas dos governos que fazem parte do bloco prevê um compromisso entre as maiores economias do planeta para colocar fim à fase mais aguda da pandemia. A meta adotada será a da OMS (Organização Mundial da Sa da Saúde), com 40% da população de cada país imunizada até dezembro e 70% até junho.

De acordo com negociadores do G20, haverá um consenso sobre o tema. E a esperança desses negociadores é de que esse tema consiga ter relevância, pois o compromisso da OMS de vacinar 10% da população de cada país até setembro fracassou, com mais de 50 países que não atingiram a marca.

Grupos de direitos humanos alertam para que os países ricos entreguem aos mais pobres apenas uma fração das mais de 1,1 bilhão de doses que prometeram doar. Tedros Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, afirmou  que o compromisso de 70% de vacinação é importante.

“Vamos ver como farão para implementar. Uma coisa é uma promessa. Outra coisa é agir”, disse. Segundo ele, o mundo precisa de apenas US$ 26 bilhões para atingir esse objetivo. “Isso é uma fração do que foi gasto com planos de recuperação”, enfatizou.

A OMS fez um apelo para que os líderes do G20 abandonem as promessas e passem a distribuir doses de forma imediata. Para agência, não existe mais um problema de produção, mas de distribuição. De acordo com a entidade, se as vacinas administradas até hoje tivessem sido distribuídas de forma equitativa, 40% da população de cada país já teria sido vacinada.

Durante a preparação do encontro, a OMS fez circular dados que revelam a disparidade sobre vacinas. Hoje, apenas cinco países africanos, ou menos de 10% dos 54 países do continente, devem cumprir a meta de vacinar totalmente 40% de suas populações até o final do ano.

Três países africanos — Seicheles, Maurício e Marrocos — já atingiram a meta. Ao ritmo atual de progresso, apenas dois outros países (Tunísia e Cabo Verde) serão capazes de atingir esta meta. Ao ritmo atual, a África ainda enfrenta um déficit de 275 milhões de vacinas contra a covid-19, enquanto a meta de final de ano é vacinar.