Nova novela da Globo: Verdades Secretas

Nova novela da Globo: Verdades Secretas

Fama, poder e dinheiro. Prazer à flor da pele. Paixão que pulsa. Frenesi intenso. Situações que seduzem e podem iludir. Em Verdades Secretas, um submundo que se esconde sob o glamour da moda, do luxo, do dinheiro se revela na história vivida por Arlete (Camila Queiroz).

E tudo tem um preço. E tem sempre alguém disposto a pagar. É aí que mora o perigo. Afinal não é tarefa fácil fugir das armadilhas que aparecem ao longo da vida. Às vezes, uma tomada de decisão errada tem um custo alto, altíssimo. E é isso que faz mudar os rumos de uma história. Pelo menos, desta história. Há pessoas que não vivem sem poder. Precisam e gostam de ordenar, comandar. Outros são vítimas do consumo, de algo que se pode comprar, usar ou beber. Tem ainda aqueles que são reféns do que a pele, os ouvidos ou boca são capazes de sentir. Puro prazer. E tem os que, simplesmente, sobrevivem. “O luxo, o dinheiro, a atração por esse mundo sedutor do consumo e também o desejo podem levar alguém a caminhos inesperados. E de repente se descobre que junto com uma vida que parece maravilhosa, há um preço grande a pagar.” conceitua, Walcyr Carrasco, autor da trama original.

Arlete, a linda jovem sonhadora, passa a ser Angel, uma prostituta de luxo que carrega o peso de uma frustração amorosa. Para entender a sua trajetória, é preciso dar um passo atrás.

Verdades Secretas é escrita por Walcyr Carrasco e tem direção de núcleo de Mauro Mendonça Filho.

Um anjo chamado Arlete

Angel (Camila Queiroz ) - Foto: Globo/Zé Paulo Cardeal
Angel (Camila Queiroz ) – Foto: Globo/Zé Paulo Cardeal

Arlete (Camila Queiroz) é uma jovem nascida e criada no interior de São Paulo. Ela chega à capital com um sonho: ser modelo. E a vida lhe sorri quando ela conhece Visky (Rainer Cadete), um booker que se encanta imediatamente por Arlete. E ela é convidada para fazer parte do casting da agência comandada por Fanny (Marieta Severo).

O novo trabalho vem a calhar. Arlete e a mãe, Carolina (Drica Moraes), vão morar com a avó, Hilda (Ana Lúcia Torre), mas as coisas não andam nada bem. Ela até consegue uma bolsa para estudar em um colégio excelente, mas falta dinheiro para as coisas básicas, como pagar a conta de condomínio. Arlete só pensa em ajudar em casa. Justamente por isso, Carolina aceita que a filha modele. Essa ideia nunca foi muito bem recebida por essa mãe, uma mulher simples e dedicada à família. Carolina abriu mão dos estudos muito cedo e nunca teve uma carreira. Futuro que ela não planeja para Arlete.

Os olhos de Fanny também brilham ao encontrar Arlete. Experiente e ambiciosa, ela vê na menina um caminho promissor. Angel, como ela é batizada artisticamente pela empresária, tem beleza e juventude. Mais do que estar nas passarelas e em campanhas publicitárias, Angel tem para ela outra serventia. Disfarçada de oportunidade, a garota é apresentada a um submundo em seu primeiro dia de trabalho. Fanny convida Angel a integrar outro tipo de catálogo, aquele que é conhecido como “book rosa”. Mas ela só entende do que se trata quando as regras do jogo ficam às claras: prostituição de luxo.

Angel sai de cena e é Arlete quem reage e recusa  a proposta. Arlete se nega a fazer parte daquilo. Fanny e Anthony (Reynaldo Gianecchini), seu parceiro nos negócios, insistem. É quando ela descobre que o “book rosa” pode ser o meio mais rápido para multiplicar seus cachês e desafogar as finanças em sua casa. Um momento de difícil decisão.

O mundo de Alex

Alexandre (Rodrigo Lombardi) -  Foto: Globo/João Miguel Júnior
Alexandre (Rodrigo Lombardi) – Foto: Globo/João Miguel Júnior

Alexandre (Rodrigo Lombardi) é um homem rico. Um dos mais poderosos da indústria têxtil. O dinheiro talvez tenha ensinado a este homem que não há limites quando se deseja alguma coisa. Ele já foi casado. A ex-mulher, Pia (Guilhermina Guinle), sabe que quanto menos conflito tiver com ele, maior será a pensão no final do mês. Eles são pais de Giovanna (Ágatha Moreira) e Bruno (João Vitor). A menina, primogênita, é sinônimo de problema. Já o caçula, não. É nele que Alexandre aposta suas fichas para substitui-lo na direção de seus negócios.

Giovanna merece atenção especial, coisa que não acontece dentro de sua casa. Essa ausência, somada a uma série de conflitos, transformou a jovem no que é hoje: uma menina que gosta de chocar e incomodar para ser notada e ouvida. Seja na maneira como se veste, na forma como se comporta, nas escolhas que faz ou nas relações que mantém com sua família, com os colegas de escola ou com seus rápidos e rasos casos amorosos.

Voltando a Alex, como é chamado pelas pessoas próximas, há algo que é preciso ser dito. Embora tenha uma namorada, o empresário tem prazer em se relacionar com mulheres bem mais jovens, cujos encontros podem lhe custar o preço que for. É desta forma que Angel entra em sua vida.

Quando ficam frente a frente, um cenário logo se desenha. Angel está temerosa diante daquela situação que experimenta pela primeira vez. Alex é experiente e com a facilidade de quem já lidou com uma coleção de mulheres faz daquele momento algo que vai muito além do que um simples programa. Ele a deixa à vontade, faz ela se sentir especial, única. Angel acredita naquela fantasia. E é assim que eles se encontram mais uma, duas, outras vezes. Alex abrindo a carteira para alimentar o seu desejo e Angel embarcando naquele conto de fadas às avessas.

Claro que essa ilusão tem data marcada para chegar ao fim. Além do sonho de ser modelo, Arlete quer se casar. Um romantismo juvenil. Mas ela não demora muito para entender que Alexandre não é o homem que vai esperá-la no altar enquanto ela desfila de véu e grinalda. Ele é apenas o homem que paga para se encontrar com ela. Desejos e sentimentos conflitantes, que fazem com que Angel tome a decisão de se afastar de Alex.

Mas ele não sabe perder. Não aceita uma negativa como resposta. Isso leva o empresário a apostar todas as suas fichas em uma jogada extrema e arriscada. Para ficar perto de Angel, Alex se casa com Carolina (Drica Moraes), mãe da jovem, que passa a fazer parte de um triângulo sem tomar conhecimento que ele existe.

A vida simples de Carolina

Carolina ( Drica Moraes ) - Foto: Globo/Estevam Avellar
Carolina ( Drica Moraes ) – Foto: Globo/Estevam Avellar

Carolina (Drica Moraes), moça do interior, casou-se cedo. E também na juventude engravidou de Arlete (Camila Queiroz). Foi neste momento que ela tomou uma decisão, optou pela dedicação total à sua família. Com Rogério (Tarcísio Filho) manteve um longo casamento, que chegou ao fim do dia para a noite, sem muitas explicações. Carolina descobriu que ele mantinha outra família, em outra cidade, também no interior de São Paulo. Sem pensar duas vezes, ela resolveu ir embora para a capital, morar com sua mãe, levando apenas Arlete.

Mas a vida em São Paulo não é fácil. Carolina não tem uma profissão e sua mãe, Hilda, passa por dificuldades financeiras. Quando Arlete é convidada para se tornar modelo de uma agência, Carolina hesita em permitir que ela aceite o trabalho. Quer que a filha tenha um futuro diferente do dela, quer que ela estude. Mas ela aceita, acaba permitindo que a filha realize o sonho de modelar. O que Carolina não imagina é que a agência de modelos é uma porta para um caminho cheio de armadilhas para Arlete.

Fanny e seus modelos

Fanny Richard (Marieta Severo) - Foto: Felipe Monteiro/Gshow
Fanny Richard (Marieta Severo) – Foto: Felipe Monteiro/Gshow

Fanny Richard (Marieta Severo) é a dona da agência de modelos que leva o seu nome. Seu negócio está muito aquém de seu desejo. O que ela quer mesmo é ter grana, poder. E há várias formas de se conseguir isso. Como seu casting não decola e os grandes trabalhos não aparecem, Fanny dá o seu jeito para fazer as coisas acontecerem.

Sem muitos pudores, ela é direta sempre que uma estreante chega à agência. Àquelas com potencial para o “negócio”, a proposta é feita: fazer parte do “book rosa” para incrementar o que se ganha no trabalho como modelo. A prostituição de luxo é o grande filão para Fanny, o que atrai clientes a assinar contratos com a agência contando com o serviço “extraoficial”. Por isso, a agência conta com certos profissionais que se submetem a qualquer coisa para continuar fazendo parte do “book rosa”. E é aí, especialmente neste tipo de situação, que é possível ter contato com o que há de mais obscuro neste universo.

Para tocar sua agência, Fanny recebe a ajuda de Visky (Rainer Cadete), seu booker e cúmplice nos momentos difíceis, e o ex-modelo Anthony (Reynaldo Gianecchini), parceiro nos negócios e fora dele. Mas quem está à frente na hora de buscar e fechar contratos é Fanny. No fundo, o que ela mais almeja é estar entre as grandes agências, badalar nos principais eventos, desfiles e campanhas e ter tops valiosas com a sua assinatura.

Ela vê no poderoso Alexandre (Rodrigo Lombardi) uma chance para conseguir alcançar seus objetivos. O preço para isso? Qualquer um! Ela está disposta a pagar. Mesmo se isso incluir a arquitetura de um plano perigoso que envolve sua mais nova modelo, Angel (Camila Queiroz). Não importa muito se Fanny está de acordo com a situação ou se ela acha certo o que está acontecendo. Ela topa. E faz com maestria, pois é uma mulher experiente, que sabe lidar, quando quer, com gente menos poderosa que ela.

O perigo que se esconde em três vértices

Fanny (Marieta Severo) pode ser qualquer coisa, menos burra. Aliás, muito pelo contrário. Nem nas questões amorosas, ela perde o prumo. Mesmo apaixonada, ela tem total discernimento para entender que seu parceiro, Anthony (Reynaldo Gianecchini), tem uma razão bem mais forte do que o amor para ficar com ela: o dinheiro.

Mas ela vive essa paixão e se alimenta dela. E age, claro, quando percebe que está correndo algum risco. Fanny entende como as coisas funcionam com Anthony. Mas isso não significa que ela não sofra. Que ela não se sinta sozinha, mesmo quando está ao lado dele. Que não chore quando finge acreditar nas mentiras que ele conta. Que ela não sinta medo de perdê-lo para outra mulher mais rica ou mais jovem.

E o pior dos seus pesados se materializa na forma da inconsequente Giovanna (Ágatha Moreira), que chega à agência com a pretensão de se tornar modelo, daquelas com fama internacional. Filha de Alexandre (Rodrigo Lombardi), a menina já tem um perfeito chamariz em seu sobrenome, cujo sinônimo é riqueza. Prato cheio para Anthony. Além disso, Giovanna é jovem, bonita e, apesar da pouca experiência, sabe brincar com a sua sensualidade. O que também atrai o interesse do ex-modelo.

Um jogo para adultos, onde tudo é dito e feito às claras. Por mais que Fanny afaste Giovanna de Anthony, a jovem não pretende abrir mão de se relacionar com ele. Fanny chega a envolver Alexandre para tirar a filha de seu caminho, mas assim como seu pai, a menina não sabe lidar com “não” em sua vida.

Manipulada por Anthony, por quem se apaixona, Giovanna faz tim tim por tim tim o que o ex-modelo quer. Tudo para tê-lo em seus braços. Fanny observa, sofre e tenta interferir. Giovanna brinca com a sua dor.  Usa a sua juventude para atacar a empresária. E consegue atingi-la. Já Anthony, com o tino de um mero apostador, observa quem dará o maior lance para conseguir o seu passe.

Além de gostar do jogo que se estabelece, Anthony precisa da grana, principalmente para sustentar a mãe, Fabia (Eva Wilma), que foi abandonada pelo marido em troca de uma mulher mais jovem. Fabia não consegue aceitar que não tem mais condições financeiras para manter o padrão de sua antiga vida. Ainda assim, não abre mão de boa comida e, principalmente, boa bebida.