Thanksgiving! Gratidão e Perdão

Thanksgiving! Gratidão e Perdão

voltar

NOV/15 – pág. 47

sua_saude_rosario

Para os imigrantes, principalmente para os recém-chegados, este dia não é muito significativo. No entanto, para os americanos, é a celebração mais importante do ano, inclusive a oportunidade de fazermos uma lista mental, agradecendo a tudo pelo qual somos gratos.

A capacidade de apreciação e gratidão são fatores que contribuem para o bom estado de espírito e saúde mental, podendo ser cultivadas. Tente notar, no princípio ou final do seu dia, algo pelo qual se sente agradecido: saúde, bons médicos, trabalho, família, amigos… e o mais importante: o fato de estar vivo! Nos menores detalhes a nossa volta, podemos encontrar o que embeleza o nosso mundo.

Logo após o Halloween, as primeiras decorações de Natal surgem (bem antes do Thanksgiving) e já entramos naquele clima maravilhoso de festas, viagens e compras. Infelizmente, às vezes, fica difícil compartilhar a alegria desses festejos, porque estamos com o coração pesado, cheio de problemas e rancores. Esta é a hora para o perdão. Perdoar seja a quem for: um familiar, um amigo, o chefe, um político, Deus. É fácil? Não, mas o bem-estar que sentimos vale a pena. Perdoar não significa esquecer, sujeitar-se às mesmas ofensas ou implicar que o feito foi bem-feito. Perdoar liberta a pessoa ferida da prisão emocional.

Perdoar é um processo pessoal, significa que posso começar esse processo, porque o fazemos independentemente do ofensor pedir perdão ou mostrar arrependimento. Provavelmente, necessito lembrar-me várias vezes de que decidi perdoar e relembrar e relembrar… quantas vezes forem necessárias. O perdão é diferente da reconciliação. Perdoar é para o meu bem-estar, reconciliação é para o bem de todos. Em casos de violência ou abuso, pode-se nunca estar pronto para o perdão. Costuma-se dizer que “A Deus tudo é possível”. Se tem fé, reze e lhe peça ajuda.

A minha colega Janis Abrahms Spring escreve sobre o assunto (inclusive sobre como seguir em frente, mesmo quando não se está pronto para perdoar). Os seus livros estão traduzidos para o espanhol. Eu utilizo o EMDR (http://www.emdr.org.br/) para ajudar aqueles que procuram chegar ao perdão, ou seja, a um ponto neutro, no que concerne a pensamentos, sentimentos e comportamentos, em relação ao que e a quem os feriu.

Permita-se sentir-se mais livre! Saboreie sua vida! Celebre estas festas!

Se quiser comentar, partilhar sua história ou marcar consulta, telefone ou me envie um e-mail.

Para mais dicas e informações, recomendo os meus dois e-books e vídeo, respectivamente: “Autoestima e Relacionamentos – Segredos Essenciais”, “Autoestima – Ferramentas Indispensáveis e Segredos Saborosos Para Um Bem-Estar Físico e Mental” e (http://www.ortigao.com/EbooksandVideos.en.html).


Rosario Ortigao, LMHC, MAC
Conselheira de Saúde Mental
407 628-1009
rosario@ortigao.com