Telefones Celulares e Marketing no Brasil

voltar

NOV/12 – pag. 49

Nos últimos dez anos, o Brasil tem experimentado um crescimento estável em sua economia, atraindo investimentos do exterior e mantendo o desenvolvimento interno de seus programas sociais.

Enquanto o Brasil possui cerca de 200 milhões de habitantes, estima-se que o número de assinaturas de celulares no país tenha chegado a mais de 240 milhões em 2012. Este incrível número de celulares no Brasil indica uma grande oportunidade de marketing e publicidade, especialmente através do uso da Internet.

O crescimento do uso e serviço de celulares no Brasil se deve a vários fatores, tais como:

  • Influxo de smartphones (telefones inteligentes) com tecnologia 3G
  • Acesso a novos e mais vantajosos planos
  • Aumento de renda entre as camadas mais pobres da população

Recentemente, as operadoras de telefonia celular no Brasil Vivo, TIM, Claro e OI têm apresentado planos mais atraentes para seus consumidores, elevando o número de mensagens de texto e acesso on-line por um menor preço. No entanto, o acesso à Internet em telefones móveis continua a ser caro, reduzindo seu uso e distribuição apenas entre aqueles que possuam uma renda mais elevada e estável.

Com o mercado de telefonia móvel crescendo, um número maior de empresas busca atingir essa massa de consumidores que utiliza esses serviços. Através de várias campanhas, tais como a “envie mensagem para ganhar” ou “curta-nos” no Facebook, por exemplo, empresas têm investido em tecnologia de telefonia móvel no Brasil como uma forma de atrair consumidores e divulgar a sua marca.

Entre alguns dos desafios enfrentados pelo marketing de telefonia móvel no Brasil se encontra o acesso limitado que a maioria dos consumidores têm à internet. Embora os programas sociais desenvolvidos pelo governo brasileiro na última década tenham permitido famílias de baixa renda ter acesso a telefones móveis, esta parcela da população geralmente adquire planos pré-pagos com limitado acesso a serviços online e outras aplicativos.

Para aqueles que têm acesso à Internet, o acesso ao Orkut, Facebook, YouTube e Twitter, por exemplo, mostra que os brasileiros são muito abertos à mídia social e às novas tendências na área de comunicações. Com a Copa do Mundo 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 se aproximando, o crescente mercado de celulares apresenta-se como uma oportunidade sólida para a comercialização de produtos e serviços oferecidos on-line no Brasil.

Um mercado consumidor interno forte aliado ao interesse do brasileiro em mídia social pode produzir mudanças reais na maneira de se fazer negócios no Brasil. Até agora, a maior parte da publicidade no país está concentrada na televisão, seguida por jornal e serviços online. Diversificar essa tendência através de novas tecnologias  pode proporcionar uma vantagem para as empresas que estão dispostas a explorar e investir no Brasil.

Paulo Lima
Consultor Sênior
Lagrant Communications