Sedentarismo impulsiona crescimento de câncer: previna-se contra doença

Sedentarismo impulsiona crescimento de câncer: previna-se contra doença

Relatório do Fundo Mundial de Pesquisa sobre o Câncer aponta crescimento de 58% na incidência da doença até 2035. Vida sedentária, excesso de peso são as principais causas de tumores malignos. Saiba como se prevenir

Edição de julho/2018 – p. 36

Relatório do Fundo Mundial de Pesquisa sobre o Câncer (WCRF), divulgado em 24 desde maio de 2018, mostra um crescimento de 58% na incidência de câncer até 2035. Sobrepeso, obesidade e estilo de vida sedentário são os principais responsáveis pelo aumento dos tumores malignos. Mudanças no estilo de vida que ajudem a prevenir a doença são fundamentais. O relatório vem exatamente divulgar quais são estas mudanças necessárias.

De acordo com o relatório do Fundo Mundial de Pesquisa sobre o Câncer (WCRF, na sigla em inglês para World Cancer Research Fund), intitulado “Dieta, Nutrição, Atividade Física e Câncer: uma Perspectiva Global”, o estilo de vida moderno promove sobrepeso, sedentarismo e consumo de alimentos processados, e estes são os principais responsáveis pelo desenvolvimento da doença.
As recomendações para a redução do risco de desenvolvimento de câncer incluem:

  • Manter um peso corporal saudável;
  • Ser fisicamente ativo;
  • Comer cereais integrais, frutas, legumes e grãos;
  • Limitar o consumo de alimentos do tipo fastfood, assim como de carnes vermelhas e processadas;
  • Evitar o consumo de bebidas adoçadas, dando prioridade para a ingestão de água e outros líquidos sem açúcar;
  • Consumo moderado de bebidas alcoólicas;
  • Priorizar alimentos nutritivos, ao invés de consumir suplementos alimentares;
  • As mulheres devem amamentar, pois é um ato saudável tanto para a mãe quanto para o bebê.

Vale ressaltar que doze tipos de câncer estão ligados ao excesso de peso, segundo o relatório. Em todo o mundo, um em cada cinco adultos e quatro em cada cinco adolescentes (11-17 anos) não praticam atividade física suficiente. A OMS ( Organização Mundial da Saúde ) está lançando um plano de ação global sobre atividade física e saúde. O plano de ação mostra como os países podem reduzir a inatividade física em adultos e adolescentes em 15% até 2030. Ele recomenda um conjunto de 20 áreas políticas que, combinadas, visam criar sociedades mais ativas através da melhoria dos ambientes e das oportunidades para pessoas de todas as idades e habilidades fazerem mais caminhadas, ciclismo, esportes, recreação ativa, dança e diversão.

A inatividade física é mais do que um desafio para a saúde, ela gera custos financeiros enormes. Globalmente, estima-se que a inatividade física custe US$ 54 bilhões em assistência médica direta, dos quais 57% são incorridos pelo setor público e outros US$ 14 bilhões são atribuíveis à perda de produtividade.

Os líderes mundiais se reunirão ainda este ano para tomar medidas sobre o sedentarismo, outras causas de DNTs e transtornos mentais, quando participarem da Terceira Reunião de Alto Nível da Assembleia Geral das Nações Unidas sobre DNTs, que acontecerá no dia 27 de setembro em Nova York.

Sendo assim, “Vamos ser ativos: todos, em todos os lugares, todos os dias”. Esta nova campanha.

Fonte: New Med