Português é reconhecido como crítico para segurança nacional dos Estados Unidos

Português é reconhecido como crítico para segurança nacional dos Estados Unidos

A decisão veio durante o Portuguese American Leadership Council – Palcus, em Washington DC

Edição de julho/2018 – p. 10

Considerada uma das 10 línguas mais faladas do mundo pela Enciclopédia Nacional Sueca (Nationalencyklopedin, mundialmente conhecida por pesquisas em línguas estrangeiras), o português é, sem dúvida, muito familiar em terras americanas. São mais de 200 milhões de falantes do idioma em todo o planeta e, nos Estados Unidos, a comunidade lusófona tem crescido estratosfericamente nos últimos anos. De acordo com um levantamento feito pelo Itamaraty, 1,5 milhão de brasileiros vivem hoje nos EUA.

Por conta da importância mundial, mas principalmente pela importância nacional, a reunião do Palcus, Portuguese American Leadership Counsil, assegurou que o português agora faça parte do programa de Bolsas de Estudo em Línguas críticas nos Estados Unidos. O programa é apoiado pelos conselhos de educação e serve para estimular o ensino de línguas consideradas fundamentais para os estudantes se desenvolveram em um mundo globalizado. Além do Brasil, o idioma é falado em Portugal, Moçambique, Angola, Guiné-Bissau, Timor-Leste, Guiné Equatorial, Macau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. O ensino do português também pode ser observado no Uruguai, Argentina, Venezuela, Zâmbia, República do Congo, Senegal, Namíbia, Suazilândia, Costa do Marfim e África do Sul.

A nomeação do Português como “língua crítica” faz que com seja possível a estudantes americanos estudarem num país onde se fala essa língua, com bolsa de estudo paga pelo estado. Torna-se por isso importante para a divulgação do português no planeta – e sobretudo no mundo anglo-saxônico.