Mens Sana In Corpore Sano

Mens Sana In Corpore Sano

Edição de março/2019 – p. 32

Mens Sana In Corpore Sano

Eric Kandel, psiquiatra, neurocientista, professor de Universidade e recipiente do Prêmio Nobel em fisiologia, no ano 2000, aborda vários temas no seu recente livro “The Disordered Mind”, ou seja, Mente Doente. O Doutor Kandel e outros geneticistas, como Gerard Karsenty, comprovam cientificamente a conhecida frase “Alma (ou mente) sã em corpo são”.

Nos Estados Unidos, a maioria das pessoas vive até 80 anos, devido a muitos avanços na medicina. Da mesma maneira que estamos melhorando a saúde física, é necessário otimizar a saúde mental. O envelhecimento afeta o corpo e a mente. Embora a perda de memória com a idade seja diferente da perda de memória associada à doença de Alzheimer (atua em diferentes processos em regiões diferentes do cérebro), é normal que se comece a perder “um pouco” a memória a partir dos 40 anos de idade. Por isso, quem consegue atingir os 90 anos, poderá chegar a essa idade com apenas 50% da memória!

O envelhecimento enfraquece os ossos, mas o exercício físico fortalece-os. Portanto, ao se exercitar com disciplina, esse processo é revertido e desacelerado. Os ossos são um órgão endócrino que produz uma hormona chamada osteocalcina, que atua em muitos outros órgãos do corpo, inclusive no cérebro, promovendo a memória espacial e a aprendizagem, influenciando a produção de serotonina, dopamina, GABA e outros neurotransmissores. A idade traz mais sabedoria às pessoas e, com os devidos cuidados, a função cognitiva pode não ser comprometida apesar do passar dos anos.

O físico grego Hipócrates, pai da medicina ocidental, no século V, foi o primeiro a reconhecer a depressão, atribuindo-a à produção de bílis negra. Atualmente, sabemos que essa doença está relacionada à química cerebral, à genética e a algumas outras circunstâncias, como o estresse. A depressão e o estresse criam mudanças bioquímicas no corpo, ativando o sistema neuroendócrino (eixo hipotálamo-hipófise-adrenal) e aumentando a secreção de cortisol (útil em prazos curtos, pois torna a pessoa mais vigilante; no entanto, nociva se constante, esgotando o corpo e a mente, afetando o apetite, o sono e o nível de energia). Concentrações exageradas de cortisol destroem as conexões sinápticas entre os neurônios do hipocampo, região do cérebro importante para o armazenamento da memória.

Exercícios físicos e interação social melhoram a memória, a depressão e outras doenças mentais. Em minha opinião, a expressão “alma sã em corpo são” relaciona-se não somente à mente e ao corpo, mas também à alma que se expande para o lado espiritual compartilhado e espelhando o coração. Celebremos a saúde mental com uma saúde holística, expressada em diferentes níveis, para que valha a pena vivermos por muitos ou poucos anos!