Médico fala o português e atende sem seguro saúde

Médico fala o português e atende sem seguro saúde

Dr. Juan Carlos Cantu é o médico da família e da assistência a pacientes brasileiros residentes na Florida Central com economia de 50% nas consultas e exames. Ele atende adultos e crianças no Pan American Medical Group em Orlando, mesmo sem o seguro saúde

Edição de março/2019 – p. 18

Médico fala o português e atende sem seguro saúde

O Dr. Juan Carlos Cantu é o médico da família e oferece amplo atendimento em seu consultório – Pan American Medical Group em Orlando –, com total suporte a Comunidade brasileira, mesmo sem o Seguro Saúde, beneficiados pelo “Pan-Am-Care”, que oferece assistência médica com uma economia de 50%  para residentes na Flórida Central. Com prescrição diretamente para a farmácia do paciente, Cantu monitora doenças crônicas – hipertensão, colesterol, diabetes, etc – também faz testes rápidos e os encaminha para os serviços laboratoriais. “É importante ressaltar que a medicina familiar permite ao médico atender todos os integrantes da família, desde a criança, adultos e idosos, ao contrário do Brasil onde a criança só pode ser examinada por um pediatra”, explica o médico.

“Atendo pacientes sem o seguro saúde, a preços bem populares, o que seria extremamente caro nos Estados Unidos para quem não tem o Green Card e precisa de assistência médica em situações de emergência e mesmo consultas periódicas. São pessoas que têm apenas o visto de Estudantes ou sem os documentos necessários que os qualifiquem para o seguro saúde, o que requer atendimento alternativo, mas com eficiência. Os meus pacientes são brasileiros, e há uma grande afinidade entre médico e paciente porque falo o português e isso facilita bastante e traz tranquilidade durante a consulta. Todos me procuram porque cobro barato, falo e escrevo em português”, enfatiza Dr. Juan.

“Posso cobrar mais barato porque tenho parceria com os laboratórios que dão descontos especiais nos exames que seriam extremamente caros, como é o caso do exame de Mamografia. Tenho o pacote check-up médico que inclui exames de glicemia e hemoglobina glicada que medem a quantidade de glicose no sangue; exame de colesterol e hemograma. E tudo fica em apenas oitenta dólares, o que normalmente um paciente sem o seguro saúde pagaria mais de 300 dólares ou 150 dólares por uma consulta. Um ginecologista cobra até 300 dólares pela consulta”, relata o médico. “Tenho direito a esses descontos especiais porque envio vários pacientes para esses laboratórios”.

“Atendo crianças que precisam do exame anual para a escola e exames físicos para a matrícula escolar. Os pais trazem a carteirinha de vacinação da criança do Brasil então faço uma avaliação e coloco todas as vacinas equivalentes ao histórico da criança no sistema da Flórida. Posteriormente os pais recebem um certificado do departamento de Saúde com todas as vacinas. E se for preciso, encaminho para a farmácia”, acrescenta.

“Aqui nos Estados Unidos um médico de família é treinado em todas as áreas da medicina e cuida da saúde física, mental e emocional de seus pacientes. O médico de família cria um relacionamento de cuidado com os pacientes e seus dependentes porque conhece o histórico de todos e está apto a cuidar daquela família em todas as suas etapas”.

E como vai a saúde do brasileiro? Indagado sobre a saúde de seus pacientes brasileiros, o Dr. Juan foi enfático: “A diferença entre o brasileiro e o americano é que o brasileiro cuida melhor da sua saúde em relação ao americano. O brasileiro quando chega ao meu consultório faz um check-up enquanto que o americano fica até dez anos sem consultar um médico. São procedimentos que mostram o quanto no Brasil as pessoas são orientadas a procurar um médico com periodicidade. O americano sem o seguro saúde não vai ao médico e, nesse ponto o brasileiro é mais cuidadoso, e toma os seus medicamentos com periodicidade”, elogia.

Acrescenta Dr. Juan que o atendimento pelo SUS (Sistema Único de Saúde), do sistema público de saúde, como acontece no Brasil, não ocorre nos EUA, e o preço do Seguro Saúde fica elevado. “Tem o seguro saúde para estrangeiros, mas é caríssimo, o que inviabiliza para o residente no país”, diz. “O Obama Care é a forma a tornar os cuidados com a saúde mais acessíveis a um maior número de norte-americanos, e incentiva a todos a ter um plano de saúde, mas não qualifica quem não tem documentos, caso do estrangeiro, exceto quem pede asilo político”.

Doenças graves, como proceder?

No caso de doenças graves de pacientes sem o seguro saúde disse o Dr. Juan Carlos Cantu que os procedimentos iniciais são a avaliação do médico familiar sobre o tipo de doença, as condições do paciente e, no caso emergencial, será encaminhado para um especialista ou mesmo para o hospital, no caso de cirurgia. “De acordo com a lei federal dos Estados Unidos um hospital não pode negar atendimento a uma pessoa, mesmo que ela não tenha o seguro saúde. Todos os procedimentos para salvar a vida dessa pessoa serão feitos e, obviamente, ela bancará com a conta hospitalar depois, que pode chegar até sessenta mil dólares, dependendo do agravamento da doença”, avalia.

“Antes de encaminhar o paciente para um especialista ou para o hospital, faço a avaliação do seu caso e procuro fazer um check-up. Faço todo o acompanhamento, mesmo depois que o paciente retornar do especialista ou do hospital, após a cirurgia. Verifico todos os seus exames, o laudo médico, o passo a passo do seu histórico de saúde”, avisa.

“É importante ressaltar que um especialista nos Estados Unidos não atende o paciente se ele não tiver o encaminhamento de um médico, que no Brasil se denomina clínico geral. O sistema de saúde aqui funciona de forma diferente do Brasil onde o paciente marca a consulta diretamente com um especialista. E se a pessoa segue direto ao pronto-socorro poderá pagar até dois mil dólares pelo atendimento”, alerta o médico.

“O meu consultório está de portas abertas para os brasileiros, mesmo sem o seguro saúde, com toda infraestrutura para dar suporte ao seu caso, seja para uma simples consulta de gripe ou até mesmo uma situação mais preocupante. Os preços das consultas são acessíveis, de 80 a 120 dólares na primeira vez, depois de 50 a 90 dólares. Tenho um aplicativo que passo para os meus pacientes onde eles compram medicamentos mais baratos e encontram até de graça. O meu intuito é ajudar as pessoas, amenizar o seu problema de saúde com atendimento preciso e eficiente. Tenho uma ótima conexão com os brasileiros e procuro ajudá-los para que não paguem preços exagerados por exames e consultas. É importante que todos estejam saudáveis”, acrescenta.

Facilidade com o português

A identificação de brasileiros com o Dr. Juan Carlos Cantu – americano que fala e escreve o português fluente –, é de extrema valia para o sucesso do tratamento, pois se sentem mais à vontade e podem falar dos respectivos sintomas sem constrangimentos. Perguntado sobre a fluência com o português, o médico lembra que, “eu cresci falando o inglês, mas trabalhei na Flórida atendendo turistas brasileiros. Eu falo o espanhol e o italiano fluente e foi mais fácil aprender o português. Quando atendia o brasileiro falava em espanhol ou italiano, mas aos poucos fui aprendendo as palavras em português, e quando não entendia uma palavra, consultava no Google e procurava saber qual era o seu significado. Depois pedi aos pacientes brasileiros que falassem em português e fui desenvolvendo o idioma. Em dois meses de consultas a turistas brasileiros eu já atendia falando em português”, comemora.

Serviço

Pan American Medical Group

Atendimento: Segunda a Sexta

8421 – S Orange Blossom Trail – Suite 124, Orlando, FL 32809

Telefone: 407-900-9284