Mais um pouco do Eataly e algumas das comidas preferidas pelos futuros campeões de futebol

voltar

JUL/14 – pág. 74

Já falei sobre o Eataly (edição 76), aquele enorme mercado de origem italiana, que possui uma filial em Nova York, na Fifth Avenue. Volto com algumas novidades sobre o mesmo assunto, agora falando sobre Oscar Farinetti – dono desses mercados em várias partes do mundo – e um dos homens mais importantes da gastronomia italiana. Relembrando, a filial americana recebe anualmente 6 milhões de visitantes! O seu marketing principal baseia-se no princípio da comida artesanal, à moda antiga!

Nessas lojas, são endeusados o queijo parmesão e o azeite extravirgem, que promovem a cozinha italiana como poucos. No entanto, esse modelo de negócio, apesar de bem recebido por tanta gente importante, recebe críticas de outros pesos-pesados da culinária italiana, por exemplo, de Tokyo Cervigni – que o acusa de não estreitar o relacionamento entre produtor e consumidores.

Entretanto, o maior “bote” está sendo preparado agora: será aberto, no próximo ano, uma espécie de Disneylândia foodie, que será chamada de Eataly World, um parque temático dedicado ao agroalimentar italiano por excelência, com 80 mil metros quadrados à porta de Bolonha, em que se poderá vivenciar todo o trajeto da produção e do sabor, apreciando a enogastronomia italiana em toda a sua beleza. Ficará conhecido como F.I.C.O. ou fábrica italiana dos contadini (camponeses).

Os críticos dessa ideia alegam que Ele disponibilizará um tesouro que pertence a todos os italianos. E Ele poderá ser crucificado por isso. Em contrapartida, isso atrairá milhares de turistas à linda Bolonha, na tradicional Emília-Romana.

Mudando de assunto e considerando a proximidade da final da Copa Mundial de Futebol de 2014, entre alemães e argentinos, vamos destacar algumas de suas receitas mais tradicionais.

Argentina

As carnes tenras, as empanadas, os alfajores. Saindo da capital Buenos Aires e seguindo para o interior do país: a culinária rural, tendo como um dos melhores exemplos o Locro Criollo, cozido argentino.

E um dos melhores exemplos é o Locro Criollo, o cozido argentino.

 

Alemanha

Sua culinária varia de região para região e é compartilhada com outros países, tais como Suíça e Áustria. Porco, carne bovina e aves são as principais variedades de carne consumidas na Alemanha. Em todas as regiões, a carne é consumida sob a forma de salsicha.

Mais de 1500 tipos de salsicha são produzidos na Alemanha. Atualmente, a cada dia, os alimentos orgânicos aumentam a sua participação no mercado de alimentos. Por ser um país com muitos imigrantes, Alemanha adotou muitos pratos da cozinha internacional em seus hábitos alimentares diários. Pratos italianos, como pizza e massas; e pratos turcos e árabes são comuns nas cidades grandes, assim como as cadeias internacionais de hambúrguer, restaurantes gregos e cozinha chinesa.

A receita escolhida para caracterizar a cozinha alemã é a Kartoffelpuffer (ou panqueca de batata). Outra receita típica é o Goulash.

Por hoje é só. Abraço para todos!

Cleide Rotondo
cleide@nossagente.net