Kaká marca primeiro gol na MLS na estréia do Orlando City na liga

Kaká marca primeiro gol na MLS na estréia do Orlando City na liga

62.510 mil pessoas. Público recorde do estádio Citrus Bowl, superando até mesmo os jogos da Copa do Mundo da de 1994. O Orlando City já havia feito história antes mesmo de entrar em campo pela primeira vez pela Major League Soccer (MLS), para o confronto com o New York City FC nesse domingo. Moradores da Flórida se misturaram a turistas de diversas partes do mundo, muitos deles brasileiros.

Kaká marcou o primeiro gol dos Lions na MLS já nos acréscimos, aos 46 do segundo tempo, em um jogo que não poderia ser mais emocionante. Naquele momento, o Orlando City perdia por 1 a 0 e tinha um homem a menos em campo. A partida terminou empatada em 1 a 1.

“Fantástico o primeiro jogo. Quanto ao resultado, claro que todos nós queríamos uma vitória, mas tudo aquilo que foi feito aqui foi demais,“ disse Kaká. “Eu realmente tinha o desejo de fazer o primeiro gol da história desse clube na liga e deu certo, fiz o primeiro gol. Queria agradecer a todo mundo que participou disso. 62 mil pessoas aqui, o estádio estava lindo, a cidade abraçou o jogo de uma forma fantástica. Realmente uma estreia maravilhosa. Ainda vamos melhorar muito, mas esse jogo foi histórico.”

Antes mesmo da partida começar, ao ver a primeira escalação da história dos Lions na MLS no telão do estádio, o proprietário do Orlando City, o brasileiro Flávio Augusto da Silva, se emocionou. Abraçado aos dois filhos que o acompanham desde a fundação do clube, em 2010, o presidente do OCSC, Phil Rawlins, gritava alto o nome de cada jogador. O técnico Adrian Heath entrou em campo agitando os braços e pedindo o grito da torcida, que respondeu com um rugido ensurdecedor, que tornou a estreia dos Lions na maior liga da América do Norte inesquecível.

Quando os jogadores do plantel inaugural dos Lions na MLS ganharam o gramado, foram ovacionados. A partida também marcou a estreia do New York City FC na liga e de sua estrela, o atacante David Villa, campeão do mundo com a seleção espanhola.

 

Kaká quase marcou o primeiro gol dele na liga norte-americana já aos 11 minutos do primeiro tempo, aproveitando o passe do lateral da seleção portuguesa sub-20 Rafael Ramos.

Aos 25 do primeiro tempo, Rafael Ramos trabalhou com o atacante colombiano Carlos Rivas, que chutou de fora da área, obrigando o goleiro do NYCFC, Josh Saunders, a desviar a bola para escanteio.

Aos 37, o atacante da seleção de Trinidad e Tobago, Kevin Molino entregou para Kaká finalizar de perna direita, quase na meia-lua da grande área. Saunders fez uma ótima desefa.

No início do segundo tempo, Molino criou a melhor chance de gol do jogo, chutando cruzado. Saunders alcançou com as pontas dos dedos.

Aos 30 minutos da segunda etapa, David Villa carregou a bola pela direita do ataque do NYCFC e encontrou o atacante da seleção dos EUA, Mix Diskerud, na entrada da área, de frente para o gol. Diskerud botou efeito na bola, que fez uma curva, saindo do alcance do goleiro Donovan Ricketts. Diskerud marcou o primeiro gol da história do NYCFC na MLS.

A sete minutos do fim da etapa regulamentar, o zagueiro do Orlando City, Aurélien Collin, foi expulso, depois de um carrinho em David Villa. Perdendo por um a zero, com um jogador a menos, o Orlando City não se encolheu. Tampouco os 62,5 mil torcedores.

Aos 46 do segundo, Kaká arrumou a bola para cobrança de falta de frente para o gol, a cerca de 8 metros da área. O craque viu uma abertura na barreira e chutou rasteiro. A bola desviou em um dos homens do NYCFC e enganou o goleiro Saunders. O primeiro gol de Kaká, o gol inaugural do Orlando City na liga norte-americana.

Orlando City 1×1 New York City FC
Gols
NYCFC – Mix Diskerud
Orlando City – Kaká
Escalações: 
Orlando City – Donovan Ricketts; Rafael Ramos, Collin, Seb Hines e Brek Shea; Amobi Okugo, Cristian Higuita, Kevin Molino, Kaká e Lewis Neal (Bryan Róchez 35’ 2˚ tempo); Carlos Rivas (St. Ledger 45’ 2˚ tempo)
New York City FC – Josh Saunders; Josh Williams, Jason Hernandez, Chris Wingert e Jeb Brovsky; Mehdi Ballouchy, Ned Grabavoy, Mix Diskerud (Sebastian Velasquez 37’ 2˚ tempo) e Andrew Jacobson; David Villa e Adam Nemec (Javier Calle 38’ 2˚ tempo)
Público: 62,510
Cartões
ORL – Brek Shea (amarelo) 28’
ORL – Kevin Molino (amarelo) 40’
NYC – Mehdi Ballouchy (amarelo) 41’
NYC – Jason Hernandez (amarelo) 8’ 2˚ tempo
ORL – Jeb Brovksy (amarelo) 15’ 2˚ tempo
ORL – Crisitan Higuita (amarelo) 32’ 2˚ tempo
ORL – Aurélien Collin (vermelho) 37’ 2˚ tempo
Estatísticas:
Chutes:
ORL – 15
NYC – 8
Faltas:
ORL – 14
NYC – 17
Impedimentos:
ORL – 6
NYC – 1
Escanteios:
ORL – 6
NYC – 1

O Orlando City enfrenta o Houston Dynamo fora de casa na próxima sexta-feira, dia 13 de março, às 19h no horário de Orlando (20h de Brasília). O próximo jogo no estádio Citrus Bowl será contra o Vancouver Whitecaps FC, dia 21 de março, às 19h30 da noite (20h30 de Brasília).

Para comprar entradas para a temporada, visite www.OrlandoCitySC.com. Para mais informações, acompanhe o Orlando City em www.OrlandoCitySC.comFacebookTwitterYouTube e Instagram.
Confira algumas fotos: