Juiz ouve brasileiro preso nos EUA por ameaça de bomba

Juiz ouve brasileiro preso nos EUA por ameaça de bomba

Francisco Fernando Cruz, de 22 anos, foi detido em Miami após enviar e-mails à polícia e à TAM indicando que avião seria derrubado em voo para Brasília

brasileiro ameca bomba miamiPreso no aeroporto de Miami na quinta-feira passada após ser identificado como o autor de mensagens eletrônicas com supostas ameaças de derrubar um avião da TAM que decolaria para Brasília, o estudante Francisco Fernando Cruz, de 22 anos, deve comparecer pela primeira vez perante a Justiça americana nesta terça-feira. A audiência de detenção de Cruz, procedimento em que o juiz decide se o réu tem direito de responder o processo em liberdade após pagamento de fiança, está agendada em uma corte federal em Miami. A audiência de acusação foi marcada para o dia 24.

Dois dias antes da data do voo, o brasileiro enviou e-mails à TAM e à polícia de Miami indicando a existência de uma bomba em um avião da empresa que partiria da cidade americana para Brasília em 10 de janeiro. “O avião não deve decolar. Alvo. Vai cair. Represália. A carga é perigosa. Estejam avisados”, dizia a mensagem.

Há dois anos nos EUA, onde foi estudar publicidade na Universidade de Montclair, em Nova Jersey, o estudante foi preso ao desembarcar de Nova York para tomar em Miami o mesmo voo a que se referira nas mensagens. Ele viajaria para o Brasil para renovar o visto de permanência nos EUA.

A polícia identificou Cruz após rastrear a origem dos e-mails. No momento em que ele enviava um deles de um computador da faculdade onde estuda, uma câmera gravou a imagem do rapaz. Outro e-mail foi envidado da casa dele. Ao ser detido no aeroporto, o brasileiro teve a bagagem revistada, mas nada foi encontrado. A aeronave foi liberada para levantar voo rumo ao Brasil.

Com família em Sorocaba, no interior de São Paulo, o estudante deve responder por ameaça à segurança do transporte aéreo e pode ser condenado a até cinco anos de prisão e multa de 250 000 dólares, mesmo considerando que a ameaça era falsa, segundo a procuradoria responsável pelo caso.

Em Sorocaba, a família do estudante informou que já fez contato com um advogado nos EUA. O defensor procurou o Consultado Brasileiro em Miami, que também acompanha o caso. De acordo com os familiares, Francisco Fernando Cruz não tem antecedentes criminais e agiu sem má-fé. Segundo a imprensa americana, policiais de Miami afirmaram que o brasileiro confessou ter sido o autor das mensagens, que seriam parte de um “jogo” para saber se o remetente dos e-mails poderia ser identificado.

Fonte: veja.abril.com.br