Investir em Orlando já não é mais instinto

Investir em Orlando já não é mais instinto

voltar

JAN/15 – pág. 51

Downtown Orlando
Downtown Orlando

Anos atrás, um grande empresário brasileiro, podendo optar em investir em qualquer lugar do mundo, decidiu fazê-lo em Orlando. Quando lhe perguntei em que estava baseando seu investimento, a resposta foi que era pelo puro instinto de que Orlando será uma grande cidade.

Hoje, isso já tem cara nova. O instinto deve dar lugar a lógica, e fazer investimentos em Orlando deve ser acompanhado de pesquisas e avaliações de mercado de risco. Grandes investimentos no setor imobiliário, como a construção de prédios de apartamentos ou a abertura de restaurante no shopping da esquina, requerem um gasto com experts e appraisals. Um pequeno grande gasto que pode ser fator decisivo para obter sucesso ou fracasso no novo empreendimento.

Já temos, em Orlando, 4.500 restaurantes, o que representa um terço do número de restaurantes que existem na cidade de São Paulo (http://www.visitesaopaulo.com/dados-da-cidade.asp), porém com a população quase 10 vezes menor. Orlando possui 60 vezes mais o número de quartos de hotel que São Paulo (120,000 em Orlando contra 2,200 em São Paulo). Considerando que a frota de aluguel de veículos de Orlando é do tamanho da frota de todo o Brasil, conseguimos mensurar o mercado daqui. Esses são indicadores que mostram o quão forte é o mercado e a concorrência.

Montar um negócio em Orlando

Bem, antes de ter ideias brilhantes de como ensinar o americano a comer pão de queijo ou pastel, o investidor em pequenos negócios deve melhor dimensionar o risco do que está comprando ou montando. Há empresas – com reputação mundial e especialistas em fazer estudos mercadológicos e de retorno de investimentos – que podem e devem ser contratadas para dar sustentação técnica aos instintos e impulsos antes que muito dinheiro e tempo sejam investidos. Para um empreendimento imobiliário, comercial ou residencial, deve-se contratar um avaliador (appraisal). Diferente do imaginado, esse profissional pode avaliar uma propriedade antes de sua construção. Ele faz estudos de mercado e dos custos de construção e responderá independente de quanto valerá o seu empreendimento depois de pronto. Isso tira aquela infantilidade, característica do mau investidor que se acha “enganado” por ter comprado ou construído baseado na opinião do corretor que vendeu o terreno ou o negócio.

Não há lugar na América para amadorismo e Orlando está tornando-se uma cidade muito competitiva para assumir decisões de investimento por instinto. Os nossos hoteleiros, que também encontram um manancial de oportunidades no mercado de Orlando, são especialistas em não contratarem empresas de estudo de mercado antes de comprar ou começar a comprar terreno e investir em Orlando. A fartura de informações e de credibilidade nos números financeiros e de ocupação das propriedades existentes dá a visão de que muito pouco pode sair errado se o investidor contrata uma empresa séria e profissional de consultoria antes de jogar uma fortuna no mercado.

Orlando como provedor de mão de obra especializada

Outro efeito do crescimento de Orlando é a melhoria gradativa na qualidade da mão de obra na região. Com uma das maiores universidades do país e do mundo, a UCF, não é difícil imaginar que os profissionais que saem formados lá preferem ficar na região ao invés de procurar emprego em mercados mais afastados e mais frios. Com a instalação da Medical City e dos polos de desenvolvimento de informática na área de Lake Mary, o mercado de trabalho catalisou especialistas de outras partes do país e locais. Não dependemos mais dos salários que a Disney paga para avaliar qualidade de mão de obra.

Os incentivos na região de Orlando

Outro enigma para nós brasileiros. Não acostumados com os incentivos por parte do governo para negócios, nosso investidor não entende a ajuda que isso traz no retorno do investimento. Um exemplo: a Universal tira proveito de um incentivo de criação de mão de obra em área de alta criminalidade há mais de duas décadas e já economizou mais de $30 milhões com isso. Para uma empresa que estava comprando, o Condado ofereceu $490,000 de capital para ajudar na hora da entrada. Para um terreno com contaminação de solo, o Estado da Flórida ofereceu ajuda no financiamento fazendo com que o empréstimo fosse 100% financiável. Centenas de exemplos que podem ser descritos e estão acontecendo pela vontade do poder público querer ajudar a cidade a crescer.

O círculo de quanto maior melhor e quanto melhor maior

Esse é o ponto a que gostaria de chegar. O crescimento da cidade, por ser um ótimo lugar para viver, traz uma série de investimentos para a região; e esses investimentos, bem dirigidos e bem estruturados, trazem mais gente para viver e consumir na área de Orlando. Portanto, se for investir, pense que está em um mercado altamente competitivo e com a possibilidade de crescimento muito grande. Por isso, avalie bem o uso do seu capital e cerque-se de especialistas e de profissionais competentes para poder obter sucesso e continuar crescendo.

Antonio Romano
www.atlanticexpress4.com
antonioromano@gmail.com