Imigrantes nos EUA terão redes sociais fiscalizadas

Imigrantes nos EUA terão redes sociais fiscalizadas

O anúncio do Departamento de Segurança Interna dos EUA vem provocando polêmica e protestos contra a invasão de privacidade. A nova medida começa dia 18 de outubro

Edição de outubro/2017 – pág. 10

Imigrantes nos EUA terão redes sociais fiscalizadas

O clima entre os imigrantes nos EUA é de preocupação desde o comunicado do Departamento de Segurança Interna dos EUA que anunciou que a partir do dia 18 de outubro começará a coletar dados de redes sociais de todos os imigrantes que entrarem no país. A medida tem gerado grande polêmica e protestos contra a invasão de privacidade, que irá ocorrer em todos os estados americanos.
E não será poupado quem quer que seja, pois a nova medida é extensiva aos portadores de Green Card – residentes permanentes – e cidadãos naturalizados. Como justificativa, o Departamento de Segurança Interna anunciou que a determinação busca aprimorar o sistema de segurança dos EUA. A medida publicada no Federal Register deve permitirá a busca e coleta de informações nas redes sociais de todos os imigrantes nos EUA registrados.

A coleta de dados alarmou os grupos de privacidade e advogados de imigração, que expressaram preocupações sobre como o Departamento de Segurança usaria a informação. Advogados dizem que eles também se preocupam com o fato de que o monitoramento poderia ingerir informações sobre os cidadãos americanos que se comunicam, via mídias sociais, com os imigrantes nos EUA.

imigrantes nos eua noticias da florida dos eua orlando revista em Jornal brasileiros em orlando

Os esforços para coletar informações de mídia social não são exclusivos da administração o Presidente Donald Trump. Durante a administração do ex-presidente Barack Obama, o Departamento de Segurança Interna começou a pedir aos visitantes que fornecessem voluntariamente informações de mídia social e tivessem quatro programas piloto de triagem.

Busca de informações

Em janeiro deste ano, o inspetor-geral do Departamento de Segurança Interna publicou um relatório informando que programas-piloto estariam sendo desenvolvidos pelo departamento para facilitar a busca de informações sobre pessoas que aplicam petições para imigrar aos Estados Unidos.

Em maio, a administração de Trump aprovou um novo questionário a ser preenchido por todos os requerentes de vistos com campos para preenchimento de suas redes sociais e informações publicadas nos últimos cinco anos. No formulário também é necessário preencher informações biográficas dos últimos 15 anos.

Para a brasileira e advogada de imigração, Renata Castro, o plano do Departamento de Segurança Interna é obter o máximo possível de informações sobre os candidatos a vistos. Segundo ela, o cruzamento de dados pode fornecer informações decisivas para que o visto seja aprovado ou negado. “As redes sociais dizem muito sobre as pessoas, mas muito mais sobre os seus planos. É nesse sentido que a busca da imigração deve acontecer”, acredita Renata Castro.

“É importante que os interessados em imigrar saibam que a imigração está adotando esta postura e que toda informação é importante e pode definir o sucesso do caso. Uma coisa é certa, por mais invasivo que pareça, não podemos duvidar que de fato a imigração esteja executando esta medida. Estamos vendo, dia a dia, novas mudanças que antes considerávamos absurdas. É nítido que Trump está tentando endurecer os procedimentos”, alerta Castro – Imigrantes nos EUA