‘Êta Mundo Bom!’ traz mensagem otimista com muito humor e romance

‘Êta Mundo Bom!’ traz mensagem otimista com muito humor e romance

Candinho (Sergio Guizé) e o burro Policarpo - Foto: Globo / João Cotta
Candinho (Sergio Guizé) e o burro Policarpo – Foto: Globo / João Cotta

“Tudo o que acontece de ruim na vida da gente é pra meiorá”. A frase é o lema de vida de Candinho (Sérgio Guizé), moço bonito do interior que protagoniza a próxima novela de Walcyr Carrasco, Êta Mundo Bom!. Para ele, não tem tempo ruim. As dificuldades são dribladas com bom-humor e otimismo. Afinal, todo mundo tem problema. Alguns mais, outros menos. A vida de Candinho não é fácil, mas ele é um exemplo de pessoa positiva em relação aos percalços que aparecem pelo seu caminho. E haja percalços!

Recheada de comédia, romance e drama, Êta Mundo Bom! se passa no final dos anos 40 e tem no filme Candinho, estrelado por Mazzaroppi, sua principal inspiração. “O roteiro do filme foi baseado no romance “Cândido”, de Voltaire, com muito humor caipira, estilo que eu gosto muito e revisito sempre que possível. Quis trazer novamente as raízes, o humor, a ingenuidade e os valores desta época”, define Carrasco. Na trama, uma radionovela também faz parte da vida dos personagens. “Quando eu era criança, acordava cedo e antes de ir para a escola, enquanto tomava o café, minha mãe ouvia novelas de rádio. Por conta dessas lembranças que me são tão marcantes, quis reviver esse universo”, conta o autor.

Na novela, Candinho foi separado da mãe logo após seu nascimento e acolhido pelo casal Cunegundes (Elizabeth Savalla) e Quinzinho (Ary Fontoura), donos de uma fazenda, no interior de São Paulo. Já adulto, Candinho vive como empregado nessa casa e é expulso por se apaixonar pela primogênita, Filomena (Débora Nascimento). Orientado por Pancrácio (Marco Nanini), amigo da família que o criou e seu grande mentor e protetor, ele decide seguir para a capital em busca da mãe biológica, Anastácia (Eliane Giardini), que ele nunca conheceu, junto de seu inseparável burro, Policarpo. A mãe, a esta altura, é uma viúva milionária e também está à procura do filho, mas a sobrinha Sandra (Flávia Alessandra) fará de tudo para atrapalhar esse encontro, pois teme perder a posição de herdeira.

Na cidade grande, Candinho enfrenta as mais diversas situações para sobreviver, mas sem se deixar abater. Além da busca incessante pela mãe, Candinho também irá lutar com unhas e dentes pelo amor de Filomena, que agora mora na capital e vive uma relação com o possessivo Ernesto (Eriberto Leão).

O início das gravações

Sob o comando do diretor Jorge Fernando, a equipe da novela começou os trabalhos por três cidades do interior do estado do Rio – Paty do Alferes, Vassouras e Teresópolis – e depois seguiu para São Paulo. Ao todo foram três semanas de gravação. “Nessa novela, especialmente, tenho tentado fazer do set um lugar de prazer, harmonia e energia positiva, o verdadeiro “Êta Mundo Bom!”, acredita Jorge Fernando.

Em Paty do Alferes e Teresópolis, as gravações aconteceram em fazendas. Para as cenas rodadas em Vassouras, o cenário utilizado foi o centro histórico. Já em São Paulo, foram muitas as locações, a maioria em lugares emblemáticos, que ainda representam a cidade nos anos 40, como o Viaduto Santa Ifigênia, Estação da Luz, Parque da Luz, Palácio dos Cedros, Teatro Municipal, Pátio do Colégio, Museu da Imigração, entre outros. Mais de 100 pessoas viajaram para essas gravações. A equipe de figurino transportou nada menos que 18 araras de roupas, e para cada uma foram junto três caixas com assessórios, como chapéus, luvas, sapatos e bijuterias. Tudo isso para vestir o elenco e uma média de 60 figurantes por dia. “Em novela de época a logística com figurino é mais trabalhosa. Precisamos vestir guardas, engraxates, estudantes, com toda a riqueza de detalhes que existia”, explica a figurinista da novela, Beth Filipecki.

Os protagonistas, Sérgio Guizé e Débora Nascimento, e os antagonistas, Eriberto Leão e Flávia Alessandra, participaram das primeiras gravações, além de outros nomes do elenco. Guizé teve a companhia de um colega mais que especial, o burro Juca, que “interpreta” Policarpo, o amigo fiel e inseparável de Candinho. “Estou adorando conviver com ele, é muito doce. Adoro animais e tenho facilidade para lidar com eles”, conta o ator. As gravações da novela continuam em externas, no Rio de Janeiro, e na cidade cenográfica, no Projac.

A novela tem previsão de estreia no canal internacional da Globo na segunda-feira, dia 18, nas Américas e terça-feira, 19, na Europa, África, Japão e Austrália.‘Êta Mundo Bom!’ é uma novela de Walcyr Carrasco, com direção geral e de núcleo de Jorge Fernando.