Como tirar a minha ideia de negócios do papel?

Como tirar a minha ideia de negócios do papel?

O ano de 2019 se inicia e junto com ele, novas esperanças, novas promessas, recomeços, novos projetos e por que não dizer, a oportunidade de abrir um novo negócio que pode mudar sua vida, transformando um sonho em realidade. Entretanto, para muitos empreendedores (ou candidatos), estruturar um plano de negócios é mais que um desafio, é quase um pesadelo. Seja por que não sabem por onde começar ou por que acreditam que empreender é para poucos. Mas para aqueles que querem se aventurar e mudar de vida através do empreendedorismo, antes de mergulhar neste novo desafio, vale investir tempo e muita pesquisa na elaboração de um plano para organizar ideias, para entender os desafios a serem superados, e o que precisa ser feito. Mas principalmente, se planejar e preparar para os riscos, e para o que pode dar errado. Afinal, “todo mundo tem um plano até levar um soco na cara” – Mike Tyson

Edição de janeiro/2019 – p. 22

Como tirar a minha ideia de negócios do papel?

É comum que os empreendedores se atrapalhem quando percebem as dificuldades e o longo caminho até tirar uma ideia do papel, ou seja, criar uma startup. Muitos acreditam que uma startup é uma versão menor (junior) de uma grande empresa. Estão redondamente enganados. Uma startup é um modelo de negócios ainda temporário e baseado fortemente em suposições e variáveis que precisam ser confirmadas pelo mercado, de forma a criar uma empresa que seja: LUCRATIVA, AUTO SUSTENTÁVEL, REPLICÁVEL e ESCALÁVEL.

Uma startup pode ser comparada como um quebra-cabeça, onde você precisa colocar cada pedaço em seu lugar para poder enxergar a empresa como um todo. Portanto, dentro da mesma analogia, quebrar o processo de criação de uma startup em “pedaços simples” e menores, pode ajudar você a entender o que precisa ser feito para tirar uma ideia do papel. Quase sempre, quando pensamos em um novo negócio (ou projeto), as ideias ainda estão em sua forma bruta, com informações desconectadas, as vezes sem sentido e muito provavelmente superficiais. Fazer então uma pesquisa de qualidade, com atenção aos detalhes e com boas informações, ajudará a detalhar atividades, definir sua duração e indicar claramente responsáveis por cada uma delas, tornando assim, o que seria muito difícil em um bom começo para quem quer iniciar um novo negócio.

Mas por onde começar? O que devo fazer para transformar a minha ideia no papel em uma grande oportunidade de negócio?

1) Definição do problema: Este é sem dúvida um dos maiores fatores de fracasso de uma empresa. Criar produtos e serviços que ninguém precisa. Para uma empresa ter sucesso, precisa de clientes (muitos por sinal). Para tanto, definir claramente que tipo de problema ou necessidade do mercado precisa ser atendida, é fundamental para se construir uma solução em que os clientes estarão dispostos e ansiosos para comprar e pagar um preço justo por isto.

2) Solução: Lembrem-se, toda e qualquer solução precisa ser fundamentalmente um facilitador, ou seja, precisa gerar economia de tempo, dinheiro e esforço/trabalho (preferencialmente todos juntos), a quem precisa. Criar uma solução que atenda (ou resolve) de forma simples e fácil, um problema ou necessidade do mercado por um preço justo e competitivo, e que o mercado esteja disposto a pagar, é fator de sucesso para qualquer empresa.

3) Inovação/Diferencial: O mercado busca cada vez mais, por algo novo, diferente e que ajude a resolver problemas de toda ordem de forma simples. Oferecer produtos que são uma cópia ou “mais do mesmo” quando comparados a outros produtos concorrentes, significa competir por preço, diminuindo significativamente as margens de lucro e reinvestimento e sacrificando a qualidade. Portanto, procure criar um diferencial em seu produto (ou serviço), que seja realmente competitivo, chamando a atenção de clientes que estão dispostos a pagar pela solução oferecida, não pelo preço somente, mas principalmente pelo que a solução pode fazer pelo cliente, pela qualidade e pelo diferencial que a concorrência não tem.

4) Como ganho dinheiro com isto?: Defina o modelo de monetização do seu negócio. Saiba claramente como você fará dinheiro com sua ideia/startup e como ela irá gerar lucro suficiente para sustentar o crescimento e manutenção da empresa. Uma vez definido o modelo de monetização, pergunte-se: O meu cliente pagará o preço justo pela minha solução? Se não, volte ao início e redefina sua solução.

5) Clientes: Oferecer uma televisão para uma girafa, não faz o menor sentido certo? Mas por incrível que pareça, isto acontece mais do que se imagina. Existem muitos casos de empresas oferecendo seus produtos para clientes errados ou nos lugares errados. Se você conhece bem qual é o problema (ou necessidade) que o mercado precisa, não terá muitas dificuldades de saber quem é o seu cliente, onde ele está, como se comporta e como compra um produto. Ajudará também a entender quantos clientes estão dispostos a comprar sua solução. Definir muito bem quem são seus clientes ajudará a entender qual o tamanho potencial do mercado, bem como, os caminhos para escalar seus negócios, o que é fundamental para a consolidação de uma empresa.

6) Recursos: Planeje-se para gastar mais do que o previsto. Abrir uma empresa é como reformar uma casa, você sabe quando começa, mas nem sempre quando acaba ou quanto vai custar no total até acabar a reforma. Muitas vezes o investimento necessário é 2x, 3x ou mais que o previsto. Chame investidores se precisar, mas que acreditem em você e pensem “igual” a você. Mostre aos investidores que você também é um investidor e não somente, aquele que teve a ideia e quer que o risco seja dos outros. Mostre comprometimento acima de tudo com sua ideia/startup. Ajuda a atrair dinheiro para o negócio.

7) Protótipo: Antes de oferecer para todo o mercado seu produto (ou serviço), construa um protótipo com as principais características e funcionalidades e veja como o mercado reage. Faça pesquisas de intenção de compra e apresentação de produto com potenciais clientes. Ajuste o produto se necessário e lance ao mercado. Se tiver que errar, erre barato e rápido. Comece tudo de novo até acertar.

8) Pessoas: Pessoas erradas em lugares errados, tomam decisões erradas! Invista fortemente em um time de colaboradores que ajude você a executar seu plano de negócios e esteja comprometido com sua empresa/startup. Contrate (ou convide) pessoas que são complementares em conhecimento e experiência de mercado e que te ajudem no dia a dia da empresa. Ideia boa com um time ruim, só dá prejuízo e não chega a lugar algum.

9) Parcerias: Quando se está começando, uma das maneiras mais rápidas e com melhores resultados para crescer é fazendo parcerias com boas empresas (ou pessoas), que são complementares a sua startup. Boas parcerias ajudam a entrar em novos mercados, desenvolver novos produtos e serviços, competir em igualdade de forças contra competidores mais fortes, ganhar escala, diminuir custos e maximizar resultados. Invista sempre em boas parcerias para crescer mais rápido e ficar mais forte e competitivo.

10) Lançamento: O mercado muda com muita frequência e rapidez. Lembre-se que o bom é inimigo do ótimo. Não entre em cirandas intermináveis tentando lançar produtos perfeitos. Lance o melhor produto (ou serviço) possível e melhore com o tempo e sempre em acordo com o que o mercado quer. NÃO ESQUEÇA: Tenha certeza que todos os aspectos legais e de contabilidade estão em ordem. Escolha um nome simples, “sexy”, de fácil pronuncia e memorização para a empresa (ou produto) e lance o seu produto no mercado.

11) Persistência: Não desista diante das dificuldades. Elas serão muitas e constantes. Entretanto, aquele que não arrisca tem somente sonhos, enquanto os que persistem, vivem de fato aquilo que sonharam. A persistência leva ao sucesso, cedo ou tarde.

Não existe fórmula fácil para o sucesso de uma startup e sim muita perseverança, trabalho e pesquisa. Invista nas pessoas e parcerias certas construindo um time de executores e comprometidos com o sucesso e cultura da empresa/startup. Invista também tempo (e dinheiro) na obtenção de informações de qualidade. Quando o dinheiro está curto, utilize de meios e ferramentas de suporte (como o Google), que ajudam a levantar de forma rápida e barata, dados importantes de mercado que servirão como base para formatar o modelo de negócio, bem como, para tirar uma ideia do papel. Faça a coisa certa, com organização e disciplina.

Mas invista acima de tudo, em você! Não tenha medo de errar. Acredite na sua capacidade de trabalho e competência. Busque conhecimento e capacitação sempre e transforme o pedido feito no início de 2019 em realidade para os anos futuros da sua vida.