Cajon. O instrumento que ganhou o mundo

Cajon. O instrumento que ganhou o mundo

voltar

AGO/2016 – pág. 50 e 51

Cajon modelo Strike, disponível nas versões com e sem captação
Cajon modelo Strike, disponível nas versões com e sem captação

Cajon, ou cajón, em espanhol, é o aumentativo de caja, palavra que significa caixa em espanhol. Documentos datados de 1840 apontam que nessa época o cajon começou a ser utilizado no Peru durante o período de colonização espanhola. Proibidos de utilizarem os tambores, considerados pelos espanhóis como ferramenta para comunicação entre quilombos, os escravos africanos passaram a utilizar as caixas de madeira que transportavam mercadorias. Assim, em pouco tempo, elas passaram a ser vistas e ouvidas em rituais religiosos e manifestações artísticas, sempre tocadas por escravos.

O cajon, portanto um instrumento de origem afro-peruana, atravessou fronteiras, conquistou diferentes culturas e passou a ser utilizado amplamente em diversos gêneros musicais. Ao longo dos anos sofreu modificações, multiplicou possibilidades sonoras, e conquistou adeptos em todo o mundo. Hoje é considerado pelo governo peruano como “Patrimônio Cultural da Nação”.

No Brasil, assim como em todo mundo, inúmeras empresas passaram a fabricar cajon. No entanto, poucas delas incorporaram recursos exclusivos, como a captação de som embutida no instrumento. A FSA, sediada em Araçatuba, foi a primeira a incluir e patentear o recurso, o que foi decisivo para a empresa conquistar músicos e disparar a produção de unidades fabricadas.

Segundo Victor Menezes, CEO da FSA, os números iniciais que não ultrapassavam as 40 unidades fabricadas artesanalmente no início da empresa, em 2008, são pouco significativos se comparados as 20 mil unidades fabricadas em 2015. Hoje, com dez diferentes linhas de produtos, a marca FSA é sinônimo de qualidade.

Confira entrevista exclusiva de Victor Menezes para o Nossa Gente, onde o CEO da FSA faz um balanço da empresa no Brasil e comemora o início da distribuição dos produtos para o mercado norte-americano junto a empresa Made 4 You, sediada em Orlando.

Nossa Gente – Além de empresário você também é músico?

Victor Menezes – Sim, toco saxofone desde os 12 anos. Estudei no CDMCC, em Tatuí, durante 4 anos. Como saxofonista toquei em vários barzinhos da região.

NG – Como surgiu a ideia de produzir cajon industrialmente?

VM – Surgiu despretensiosamente. Conheci o cajon em um luau que toquei em 2007 e fiquei apaixonado pelo instrumento. Como eu já gostava de mexer com madeira e fazer caixas de som na empresa do meu pai, dei inicio a produção de cajon, inicialmente para vender em pequena escala, por intermédio de um site de vendas aqui no Brasil. Após um ano eu já estava fabricando e vendendo cerca de 40 cajons por mês.

EMPRESA

Cajon FSA modelo Elite, com assento em EVA e captação embutida
Cajon FSA modelo Elite, com assento em EVA e captação embutida

NG – Há quantos anos existe a FSA?

VM – A FSA existe oficialmente desde 2008.

NG – Quais são as linhas de produtos que a empresa oferece?

VM – Trabalhamos basicamente com cajons e acessórios. Dentre os modelos de cajon, o Latin é o modelo de entrada. Já o Standard foi o primeiro modelo produzido pela FSA e inclui captação dupla. O Elite oferece captação dupla e é voltado para os músicos profissionais que buscam baixo custo. O Confort é adequado para músicos que tocam por longos períodos, e também inclui captação dupla. O Design, como o nome sugere, traz acabamentos diferenciados de estampas e cores, além de captação dupla. O Touch é o modelo que mais envolve tecnologia dentre todos os que criamos já feito pela FSA, uma vez que além de captação dupla, também oferece maiores opções de timbres, como o reforço dos graves. O modelo Signature é sempre desenvolvido em parceria com os endorsees, ou seja, são feitos sob medida. O Teen foi desenvolvido para atender o músico jovem. O Kids é para as crianças de até 4 anos. Como apoio a todas as linhas de cajon, dispomos também de uma ampla linha de acessórios, todos eles para serem usados junto ao cajon.

NG – Com o mercado recessivo a empresa alterou a linha de produtos comercializados como, por exemplo, excluindo os de menos giro?

VM – Todos os anos desenvolvemos novos produtos e ampliamos a linha. Com certeza os produtos de menor giro são os primeiros que deixamos de fabricar e comercializar. No entanto, temos alguns produtos de menor giro que são espetaculares e mesmo representando pouca lucratividade, não saem de linha. Um exemplo é o modelo ‘Desmontável do Zottarelli’, que por ser um instrumento de custo elevado, não tem um grande volume de vendas, mas assim mesmo é um espetáculo e com toda certeza não sairá de linha tão cedo.

NG – Quantos funcionários trabalham na FSA?

VM – Atualmente 23 colaboradores nos quais me incluo.

NG – A fábrica em Araçatuba é responsável pela fabricação de todas as linhas de produtos?

VM – Sim, toda a linha de produtos da FSA hoje é feita dentro de nossa fabrica.

PRODUTOS

NG – Como surgiu a ideia de desenvolver um cajon com captação embutida?

VM – Eu tocava em barzinho e sempre me esquecia do microfone. Foi quando surgiu a ideia de adaptar os dois captadores dentro do instrumento, e assim desenvolver um novo produto, facilitando a vida do músico percussionista.

NG – Além do cajon, outros produtos como o Stomp Box também incluem captação. A captação é o principal diferencial que a FSA inclui em seus produtos?

VM – No início sim, sem dúvida que foi o principal diferencial agregado ao design do cajon tradicional. No entanto, com o passar do tempo, também fomos obtendo reconhecimento pela qualidade e confiabilidade que nossos produtos oferecem.

NG – Como vem sendo a aceitação dos produtos?

VM – Espetacular! No Brasil virou referência de mercado e facilitou muito a vida dos músicos e técnicos de som.

NG – Outros produtos a serem desenvolvidos deverão também oferecer o mesmo recurso?

VM – Sim, estaremos preparando vários lançamentos durante os meses de agosto e setembro, e em 90% dos lançamentos o recurso de captação estará presente.

NG – Quais produtos deverão ser lançados no corrente ano?

VM – Normalmente não antecipamos informações e até fazemos suspense quanto aos produtos que a FSA prepara para lançamento. Guardamos a sete chaves até saírem as patentes, bem como os produtos serem testados e aprovados por nossos especialistas. O que posso adiantar é que esse ano teremos um lançamento que irá mexer com o mercado mundial. Assim como os nossos demais produtos, esse grande lançamento também oferece muita qualidade de fabricação, além de versatilidade. Será um divisor de águas igual ao sistema de captação dupla que lançamos quando entramos no mercado.

MERCADO INTERNO

NG – Qual a participação de mercado da FSA mercado nacional?

VM – Estimamos que a FSA seja responsável por 50% do mercado nacional de cajon. Fabricamos cerca de 2100 cajons por mês, e como consequência conquistamos a posição de maior fábrica de cajon da América Latina.

NG – De um modo geral como está sendo o ano de 2016 para o mercado brasileiro de instrumentos musicais?

VM – Está sendo um ano difícil e o segmento de instrumentos musicais é um dos que mais sofre, pois para muitos, os instrumentos musicais não são artigos de primeira necessidade. Porém, acreditamos que o pior já tenha passado e, que como uma onda, os tempos melhores já estejam a caminho.

NG – No catálogo de produtos a empresa informa que comercializou em 2015 mais de vinte mil unidades de cajon.

VM – Sim, foi um marco para a FSA o ano de 2015. Ultrapassamos a marca de 20.000 unidades vendidas e ficamos muito contentes com isso. No entanto, há muito trabalho e ser feito e buscamos ultrapassar essa marca.

A FSA foi a primeira empresa a desenvolver captação embutida para o cajon
A FSA foi a primeira empresa a desenvolver captação embutida para o cajon

MERCADO EXTERNO

NG – Os produtos são comercializados no exterior? Se positivo, em quais países possui revendedores?

VM – Sim, hoje vendemos para França e Alemanha, e os dois países possuem distribuidores parceiros que fazem toda logística dentro de cada respectivo país.

NG – Você se prepara para entrar no mercado norte-americano de instrumentos, passando a ter um distribuidor com show room na Flórida. Quais são suas expectativas?

VM – Foi espetacular! Quando recebemos o convite ficamos imensamente honrados, pois o mercado norte-americano é vitrine para o mundo. Para ser sincero, estamos vivendo um momento que sempre esperamos um dia viver. Conseguimos realizar esse projeto junto a um parceiro que se encaixou perfeitamente. Nossa expectativa é que o consumidor norte-americano fique apaixonado por nossos instrumentos, assim como aconteceu aqui no Brasil.

NG – Expor na NAMM Show é uma iniciativa isolada ou parte de um projeto voltado ao mercado norte-americano?

VM – Expor na NAMM é parte de um projeto no qual o mercado norte-americano é fundamental para o progresso de nosso negócio.

NG – Quais os planos para a FSA?

VM – Os planos são muitos. Nosso empenho é para que a FSA se torne a marca de cajon referência mundial. Dessa forma, quando o músico pensar em cajon, irá associar automaticamente a FSA, assim como também já acontece com as marcas de guitarra ou bateria. Sabemos que há muito trabalho a ser feito e que esse reconhecimento virá com o tempo. Para o momento, o que fazemos é construir uma base sólida para que depois possamos crescer e atingir esse patamar.

NG – Quais são as maiores dificuldades para conquistar novos mercados, como o europeu e norte-americano?

VM – A maior dificuldade é estabelecermos parcerias solidas. Para isso é necessário confiança, amizade, paciência e respeito mútuo. Essa é, incontestavelmente, a maior dificuldade, não só em relação aos novos mercados, como também em todas as formas de relacionamento, seja dentro da FSA ou mesmo com os artistas endorsees com os quais a empresa mantém relacionamento.

NG – Atuar nesses mercados e obter maior participação em cada um deles está nos planos da FSA, ou investir no mercado interno continua sendo prioridade?

VM – O mercado brasileiro sempre será atendido, até porque foi onde a nossa história começou e onde ainda há muito a ser conquistado. Enquanto por um lado buscamos conquistar novos mercados, com parcerias sólidas, também reforçamos nossos relacionamentos no Brasil. Em nossa festa de celebração dos cinco anos da FSA, homenageamos o primeiro lojista que comprou nossos produtos, como também o primeiro representante comercial e o primeiro endorsee. Foi junto a eles que construímos a história da empresa, e cada um deles faz parte de tudo isso.

Made 4 You

Os produtos FSA estão sob a distribuição da Made 4 You para o mercado norte-americano. A Made 4 You é uma empresa do ramo de instrumentos musicais, sediada em Orlando, que iniciará operações para o atacado e varejo a partir do mês de agosto. No show room, onde poderão ser encontrados os diferentes modelos de cajon da FSA, os produtos também estarão disponíveis para venda. A Made 4 You, que chega aos Estados Unidos com a proposta de distribuir instrumentos musicais brasileiros para o mercado norte-americano, tem programado muitas outras novidades ao longo de 2016.

Para visitar o show room e conhecer os produtos, agende horário pelo tel. 407.601-7642 ou por e-mail, madelcf@hotmail.com

Serviço:

www.fsacajons.com.br


Salla-Foto-New-Bossa-PearlSallaberry
Músico, produtor musical e bacharel em Publicidade e Propaganda, membro do Latin Grammy. Autor do Manual Prático de Produção Musical.