Boas maneiras no cotidiano

Boas maneiras no cotidiano

voltar

MAIO/14 – pág. 72

Pontualidade

  • Pontualidade não é qualidade, é dever que se impõe.
  • Respeitar o tempo alheio é a regra número um da Etiqueta.
  • Atrasos frequentes podem deixar você com fama de profissional irresponsável.
  • Prevendo um atraso significativo, avise com antecedência e, ao chegar, justifique e peça desculpas. As mesmas atitudes em relação aos seus horários na empresa.

Escada

  • Não pare no meio da escada para cumprimentar pessoa alguma.
  • Um movimento de cabeça é suficiente.
  • Acompanhada de um homem, a mulher sobe na frente e desce atrás.
  • Quem sobe cede a vez a quem desce.
  • Quando o homem conduz – na empresa – deverá ir à frente para mostrar o caminho.

Abrindo as portas

  • Quando fechada, é privativo. Respeitar, bater e aguardar resposta para entrar.
  • Não esqueça “Com licença, posso entrar?”.
  • Quem entra cede a passagem para quem sai.
  • Pense antes e procure colocar-se em uma posição que facilite a abertura da porta, levando em conta os indivíduos envolvidos e o ambiente cultural.
  • Considere o ato de abrir portas. Se for uma mulher, e um homem quiser lhe abrir a porta, deixe-o, e encare a ação como um gesto de cortesia.
  • O homem deve abrir a porta para uma mulher, um idoso, ou alguém hierarquicamente superior.
  • A mulher, tradicionalmente, deve abrir a porta para um idoso ou alguém hierarquicamente superior.
  • Se for mulher, diminua o passo conforme for se aproximando da porta.
  • Quando estiver caminhando com um homem mais velho, dê a ele a oportunidade de abrir a porta, se ele não o fizer, abra você mesma.
  • Com alguém da sua idade ou mais jovem, alterne a abertura das portas conforme forem locomovendo-se pelo edifício.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Elevador

A vida pode ser mais prazerosa se incorporarmos pequenas atitudes que podem fazer a diferença no dia-a-dia. Ser cortês em qualquer lugar fará com que seja bem visto e respeitado.

A verticalização das cidades exige das pessoas uma nova postura – como se portar nas rápidas viagens de elevador, seja em prédios residenciais ou profissionais. Deslizes de comportamento ocorrem de maneira sistemática nos rápidos minutos em que se permanece em espaço tão minúsculo, tão privado e ao mesmo tempo tão público.

É comum pessoas entrarem no local falando alto, e continuar a conversa como se houvesse apenas o interlocutor por perto, obrigando outras pessoas a ouvir algo que não lhes interessa. São atitudes inconvenientes que provocam muitos constrangimentos.

Certo

  • Ser educado, ao entrar cumprimentar quem está.
  • Sem pressa – quem sai tem preferência.
  • Os jovens deixam os mais velhos entrarem ou saírem primeiro.
  • Quando duas pessoas vão descer no mesmo andar, o homem, o jovem abre a porta.
  • Um andar? Vá de escada.
  • Se ficar por último, segure a porta para o primeiro que for entrar.
  • Evite se colocar bem na frente da porta do elevador em locais de muito tráfego.
  • Quem vai para andares mais alto, posiciona-se no fundo.
  • Em elevador de empresa, o homem entra após a mulher, e deixa que ela saia primeiro.
  • Caso o elevador esteja cheio, o homem deve pedir licença e sair primeiro, abrindo espaço para a mulher.
  • Elevador lotado, quem está na frente, sai e dá passagem a quem vai descer naquele andar.

Errado

  • Conversar na frente de estranhos sobre assuntos particulares.
  • O dono do pedaço que segura a porta para continuar o papo.
  • Atender o celular em meio ao elevador lotado.
  • Fazer comentários sobre visinhos com alguém da família do lado.
  • Críticas e comentários sobre a empresa, colegas e clientes nas curtas viagens entre andares.
  • Em prédio com ascensorista, esquecer de usar “por favor, 4º andar” e ao sair agradecer.
  • Jogar papel usado ou outros objetos dentro do elevador.
  • Deixar odor desagradável.

Tratamento profissional

Trabalho não é casa da gente e a liberdade que se tem em casa não pode ser transferida no trabalho. Por mais simpáticos que sejam colegas e superiores, e por mais à vontade que você se sinta trabalhando, lembre-se:

  • Cumprimente todos, ao chegar e ao sair no final do expediente.
  • Observe a hierarquia, não importa a idade, sexo, parentesco ou amizade, trate seus superiores com respeito, por mais íntima que seja a relação, principalmente na frente de outras pessoas.
  • Caso não tenha uma sala própria, evite discutir ou alongar assuntos pessoais no telefone ou celular. Fale baixo, seja discreto, seja breve.
  • Evite falar mal dos colegas ou da empresa para o mundo externo. Depõe contra você.
  • Busque as qualidades dos colegas, reconheça, elogie, ao invés de criticar.
  • Cuidado com as brincadeiras, e evite apelidos que podem desagradar o colega.
  • Personalizar sua mesa é possível até certo ponto. Evite vasos com água, porta-retratos da família com trajes de banho ou situações muito pessoais.
  • Evite pegar material do colega, além de atrapalhar, interrompe o trabalho do outro.
  • Evite invadir a mesa do outro e se instalar como se estivesse no seu lugar.
  • Procure deixar sua mesa e local de trabalho arrumado, cada coisa em seu lugar.

Lembre-se, que não está em seu quarto e nunca se sabe quem vai aparecer na sala.

adelitacostaCOLORAdelita Costa
Relações Públicas, Cerimonialista e Professora de Etiqueta Social, Profissional, Palestrante e Consultora. 
acfeventos@hotmail.com