Bambu – leveza e versatilidade

voltar

JAN/12 – pág. 50

O uso do bambu na construção civil se encaixa perfeitamente na recente “onda de sustentabilidade”. Ele já é muito usado em países asiáticos e americanos, como a China, o Equador e a Colômbia, onde a técnica já é bem desenvolvida e utilizada até em pontes e edifícios de pequeno porte. Na Ásia, temos os exemplos vivos mais antigos da Arquitetura com bambu, em templos chineses, japoneses e indianos. O Taj Mahal, por exemplo, teve sua abóboda reestruturada em metal recentemente, substituindo a estrutura de mais de 500 anos em bambu. Por ser um material belo e renovável, sempre teve grande prestígio na arquitetura e na decoração, e por causa da crescente preocupação do setor com o uso de materiais menos agressivos ao meio ambiente, volta todo o interesse sobre ele. Resistência, durabilidade e versatilidade fazem do bambu um elemento ideal para revestir e, até mesmo, estruturar construções.

Para paredes, painéis, pisos e forros, o material está entre os mais requisitados. Os laminados de madeira, por exemplo, chamados Plywood, são a referência para os laminados em bambu, chamados Plyboo, cada vez mais utilizados por sua versatilidade e durabilidade. Por ser uma planta flexível e durável, a variedade de uso do material impressiona. Ele pode ser utilizado em áreas internas e externas, para sombreamento, quebra-ventos, proteção contra erosão e drenagem. Em áreas internas, geralmente é usado na decoração, como revestimento de paredes, forros, cortinas, e também em artesanatos. Hoje, existe no mercado de revestimentos uma variedade de pastilhas de bambu que pode ser colada em placas diretamente às paredes causando um belo e acolhedor visual. Assim como para pisos laminados, em que ele se torna bastante resistente.

Dica: antes do uso, o bambu deve passar por um tratamento específico que o esterelize contra pragas e torne fácil a sua manutenção.

Viviane Sperb
Arquiteta
viviane@nossagente.net