Apresentações e cumprimentos

voltar

MAR/14 – pág. 72

comportamentoÉ no primeiro encontro que se iniciam os contados sociais e profissionais. Importante agir com naturalidade, além de dominar as regras de precedência no aperto de mãos, para não quebrar a hierarquia. Apresentar pessoas exige certa dose de atenção.

Há uma regra básica para todos os tipos de apresentação. Quem quer que esteja se apresentando ou sendo apresentado, deve sorrir e olhar a pessoa nos olhos. Seriedade e tensão não funcionam bem nas apresentações.

Apresentando pessoas

  • Quem apresenta deve dar o nome completo, e se possível, qualificar a pessoa.
  • Deu branco? O que fazer? “Qual é mesmo o seu nome completo”?
  • O menos importante é apresentado ao mais importante.
  • Não foi apresentado? Timidez à parte apresente-se.
  • O mais jovem é apresentado ao mais velho.
  • A mulher se levanta para pessoas idosas e alta hierarquia.
  • O homem se levanta sempre para a mulher (salvo alto dignitário civil ou religioso).
  • Quem chega é apresentado a quem está.
  • A iniciativa de estender a mão é do importante, mais idoso e da mulher.
  • Ao chegar cumprimentar e ao sair se despedir.
  • Abraços, tapinhas nas costas e beijos no rosto é uma atitude nada profissional.
  • A pessoa mais importante, entre o diretor da empresa e o cliente, será sempre o cliente.
  • Evite braços cruzados e tire a mão do bolso.
  • No momento da apresentação, não diga “Muito prazer”. O certo é “Como vai o Senhor” ou “Tudo bem?”. Ao final do encontro, podemos dizer: “Foi um prazer conhecê-lo”.
  • O homem apresenta sua mulher dizendo: “esta é Stela, minha mulher”, e a mulher: “Roberto, meu marido”. Quando nos referimos ao casal: “lá está o Raul com a esposa”.
  • Olhe nos olhos das pessoas, isso mostra o seu interesse no que elas estão dizendo.
  • Jamais converse com óculos escuros, retire-os no primeiro momento.
  • Já o beijo na face é permitido entre pessoas que são íntimas, e não para aquela que acabamos de conhecer.
  • A pessoa mais importante é quem recebe a outra e tem seu nome dito primeiro. No meio empresarial, é interessante dar ao cliente essa importância maior.

Nas apresentações entre casais

  • Os homens cumprimentam-se primeiro, a seguir apresentam suas acompanhantes.
  • Em uma recepção, o casal que chega cumprimenta a pessoa ou o casal que recebe. Exemplo: “Boa noite, esta é Maria Eugênia, minha mulher”.

Auto-apresentação

  • Às vezes se faz necessário a auto-apresentação. Exemplo: quando convidado para uma recepção ou festa por terceiros, ou quando estiver representando um chefe.
  • Caso precise representar alguém, apresente-se assim: cumprimente antes e, “Meu nome é Guilherme Prado, estou representando o Sr. Marcus Leal, da empresa TAL”.

Como apresentar marido e mulher

Algumas pessoas ficam em dúvida na hora de apresentar o cônjuge. A principal é sobre a expressão a ser utilizada: esposo, esposa ou marido, mulher. Independentemente se são casados ou não, o adequado é apresentar o parceiro como meu marido, ou minha mulher. Exemplo: “Olá, esta é minha mulher, Denise.” É de bom tom e evita constrangimentos.

Aperto de mãos

É através da Etiqueta que se chega ao controle da expressão gestual para se causar uma boa impressão. Pelo aperto de mão podemos identificar um pouco da personalidade da pessoa, ou pelo menos o que ela sentiu no momento em que cumprimentou você.

Quando incorreto, pode demonstrar desprezo, fraqueza, truculência ou grosseria. Um dos poucos contatos físicos permitidos no profissional é o aperto de mão.

O aperto de mão correto transmitirá: segurança, simpatia, confiabilidade, amizade.

Se a pessoa estende a mão, mas não possui um “bom aperto”, uma imagem negativa é transmitida, o que muitas vezes pode impactar na conversa ou reunião. Enquanto um aperto de mão fraco transmite insegurança e desinteresse, um aperto de mão firme indica confiança e interesse pelo outro.

Para causar uma boa impressão

  • Não invada a zona de conforto do outro – você já se sentiu desconfortável por alguém se aproximar demais enquanto falava ou o cumprimentava? Isto acontece por que cada pessoa tem várias zonas especiais, as quais devem ser respeitadas. Embora o espaço possa variar de pessoa para pessoa ou entre culturas, o ideal é, em um contato profissional permanecer a uma distância que varia de 45 cm a 1,2m.
  • Olhe nos olhos – procure olhar nos olhos do interlocutor, isto passa confiança e sinceridade, além de firmeza, além disso, procure coordenar seus gestos com olhares.
  • Nada de tapinhas ou beijos – é extremamente desagradável um contato físico indesejado. A menos que seja íntimo da pessoa, evite tapinhas nas costas, nos ombros. Se for cumprimentar uma mulher, nada de beijinhos, a iniciativa deve partir da própria mulher ou em caso de duas mulheres, da anfitriã.
  • Controle a intensidade – o aperto de mão firme é o que gera melhor impressão, mas cuidado na dose, a intenção é passar segurança, e não esmagar a mão do interlocutor.
  • Lembre-se do nome do seu interlocutor – ao despedir-se, cite o nome do interlocutor. Isso demonstra que estava prestando atenção e interesse por ele.
  • Sorrir – por fim, um sorriso sincero consolidará a primeira impressão, transmitindo uma mensagem positiva e confiante.

Cumprimentos

  • Na hierarquia profissional, as regras de etiqueta pessoal modificam-se devido as escalas de valores sociais:
  • O chefe será cumprimentado pela secretária, e cabe a ele estender a mão ou não.
  • Quando a secretária for mais velha que o chefe, o que valerá é a hierarquia profissional.
  • Nas apresentações verbais, o funcionário será apresentado ao patrão e nunca o oposto.

Cumprimentos à mesa de refeições

Os cumprimentos à mesa de refeições serão verbais, nunca físicos. Estender a mão para alguém que esteja à mesa é indelicado, “tapinhas” nas costas, então, nem pensar.

adelitacostaCOLORAdelita Costa
Relações Públicas, Cerimonialista e Professora de Etiqueta Social, Profissional, Palestrante e Consultora. 
acfeventos@hotmail.com