Agência dos EUA colocou programa espião em 100 mil computadores

Agência dos EUA colocou programa espião em 100 mil computadores

Até mesmo equipamentos desconectados podem ser vigiados, diz jornal.
Exército da China, da Rússia e polícia do México estão entre os alvos.

nsa
NSA colocou programa de espionagem em 100 mil computadores de todo o mundo, diz NYT (Foto: Reprodução/Site New York Times)

A Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) dos Estados Unidos implantou programas de vigilância em quase 100 mil computadores de todo o mundo, informou o jornal “New York Times” a partir de documentos revelados pelo ex-técnico da agência Edward Snowden, atualmente exilado na Rússia.

A NSA colocou esses programas tanto em equipamentos conectados à internet quanto em aparelhos sem conexão, graças a uma antiga tecnologia adaptada aos tempos modernos: a radiofrequência, cujas ferramentas, normalmente um cartão USB, são instaladas fisicamente por uma pessoa na máquina monitorada.

Segundo o “New York Times”, entre os alvos mais frequentes de vigilância da NSA por meio desse sistema estão o Exército da China, as Forças Armadas da Rússia, a Polícia do México e os cartéis do tráfico de drogas no país, instituições de comércio da União Europeia e países aliados na luta contra o terrorismo, como Arábia Saudita, Índia e Paquistão.

Essa versão avançada de radiofrequência, que a NSA usa pelo menos desde 2008 e que foi batizada de “Quantum”, baseia-se em um canal secreto de ondas de rádio que podem ser transmitidas através de cartões USB instalados secretamente nos computadores.

Em alguns casos, a informação é recolhida por uma estação do tamanho de uma maleta que as agências de inteligência podem colocar a milhares de quilômetros do alvo.

A NSA, que se negou a fazer comentários sobre o programa “Quantum”, garantiu em comunicado que seus esforços são “mais uma defesa ativa” contra os ciberataques estrangeiros do que uma ferramenta ofensiva.

“Não usamos nossos serviços de inteligência para roubar segredos comerciais de companhias estrangeiras em benefício das empresas dos EUA e de sua competitividade internacional”, afirmou a porta-voz da NSA, Vanee Vines, segundo o “New York Times”.

Por enquanto, não existe nenhuma prova de que a NSA tenha instalado programas de vigilância similares em computadores americanos.

A espionagem através da introdução de programas de vigilância em computadores foi uma das práticas criticadas pelo comitê de especialistas encarregado pelo presidente Barack Obama para analisar os sistemas de espionagem, após o escândalo gerado pelas revelações de Snowden, no ano passado.

Obama anunciará nesta sexta-feira (17) quais são as medidas sugeridas pelos especialistas que ele deve adotar na reforma dos sistemas de vigilância da NSA, o que lhe rendeu um dos maiores desafios de sua presidência.

Fonte: g1.globo.com (Da EFE)