Advogados alertam imigrantes para não se entregarem à Imigração

Desinformação sobre medida do governo em rever deportações gera mal entendidos.

A decisão do Departamento de Imigração em rever cerca de 300 mil deportações e concentrar apenas nos casos de imigrantes indocumentados com histórico criminal, tem gerado dúvidas e mal entendidos.

Advogados de imigração estão alertando os imigrantes indocumentados para não se entregarem à justiça na esperança de se beneficiarem da mudança e receberem autorização de permanecerem no país.

“Nós estamos recebendo muitas notícias de pessoas pensando que uma nova anistia acaba de ser declarada”, disse Crystal Williams, presidente da Associação de Advogados de Imigração Americana durante uma entrevista. “Nós queremos que isso fique bem claro para as pessoas”, completou.

A entidade publicou um documento com fatos explicando que a administração Obama prometeu revisar 300 mil casos de deportação que ainda estão pendentes. O governo disse que irá interromper casos de pessoas consideradas de “baixa prioridade” que não cometeram crimes. 

Imigrantes indocumentados de baixa prioridade são definidos como veteranos de guerra ou esposas ou maridos de veteranos, vítimas de crimes, mulheres grávidas, doentes, idosos e pessoas que foram trazidos pelos pais ainda criança. Aqueles que tiverem seus casos liberados podem aplicar para a autorização de trabalho, o que gerou rumores que o programa seria uma anistia para certo grupo de imigrantes.

Williams disse que ainda não está claro quem irá se qualificar para a autorização de trabalho, e se obtendo isso não significa que será dado a residência permanente, como o green card. As novas regras aplicam-se apenas para pessoas que já estão em processo de deportação.

A governadora do Arizona, Jan Brewer, que briga na justiça contra o governo federal para implementar uma lei anti-imigrante no estado, criticou a nova política dizendo que é uma “anistia pelas portas dos fundos”, argumento que o advogado williams diz que aumenta a desinformação entre as comunidades imigrantes. 

Cecilia Munoz, diretora de assuntos intergovernamentais da Casa Branca, disse à rede de televisão Univision que nenhum grupo de pessoas está fora de perigo de ser deportado.

“Nós não estamos dizendo que existam categorias de pessoas que não serão deportadas”, de Munoz acrescentando que qualquer decisão de parar uma deportação será feita caso a caso. Ela disse que aquelas pessoas que são presas tentando entrar pela fronteira ilegalmente ou que já foram deportadas anteriormente e retornaram, estão no grupo de “alta prioridade”.

Da redação do Comunidade News