A volta por cima do coreógrafo Caio Castro

A volta por cima do coreógrafo Caio Castro

Após ficar afastado dos brasileiros com agenda abarrotada de compromissos com eventos americanos, o cenógrafo e produtor está de volta e fala de projetos para 2018

Edição de outubro/2017 – pág. 35

A volta por cima do coreógrafo Caio Castro

O coreógrafo, cenógrafo e produtor de eventos, Caio Castro, volta à ativa revigorado, retomando seus projetos e se preparando para uma série de eventos em 2018. Ele, inclusive, foi diretor Artístico do “Brazilian Day Orlando Festival”, realizado no dia 1º de outubro, no Lake Eola Park – em Downtown Orlando, que reuniu um número expressivo de brasileiros. “Eu andei afastado da comunidade brasileira por uma série de fatores de ordem familiar, mas estou retomando as minhas atividades com muita vontade de trabalhar”, justifica Caio.

“Nesse período em que estive afastado dos brasileiros, trabalhei com os americanos, realizando eventos para as lojas americanas. Fiquei atarefado ao extremo e, com isso, acabei me distanciando da comunidade. Volto com vigor”, fala com entusiasmo.

“Os americanos, inclusive, brincam dizendo que sou mil e uma utilidades, pela versatilidade do meu trabalho. Mas gosto do que faço e procuro fazer tudo muito bem-feito. Eu faço coreografias, produção cenográfica, enfim, monto toda produção de um espetáculo. Também faço a parte de designer e direção”, acrescenta.

Caio Castro fala de seu trabalho com a “Macy’s”, uma cadeia de lojas das mais importantes dos EUA, realizando ambientação e feira de vestido de noiva, também apresentada em Las Vegas.
Junto à comunidade brasileira, o coreografo participou de eventos importantes, incluindo o “Miss Brazil USA”, em Uta, que reuniu 30 mil pessoas. Ele também esteve no “Brazilian Press World” e, recentemente na direção artística do “Brazilian Day Orlando Festival”, realizado em Orlando, entre outros acontecimentos.

A paixão pela arte, relata o coreografo, tem como referência o pai, Onofre de Castro, que comandava uma orquestra – Orquestra Marajoara –, realizando apresentações em várias cidades. “A minha adoração artística, sem dúvida, herdei do meu pai”, fala com carinho. “Um homem apaixonado pela música”.

Caio Castro cursou “Comunicação Visual e Desenho Industrial” na Faculdade UNESP de Bauru – interior de São Paulo –, onde passou parte de sua infância e juventude.

“A arte é algo fantástico. Quando, por exemplo, estou coreografando um espetáculo, relaxo. Fico muito bem centrado porque é um momento prazeroso, de compenetração. Isso é muito gratificante”, enfatiza.

“A concepção de um espetáculo é a consagração do artista. Esqueço do estresse e eu me entrego de corpo e alma ao meu trabalho. É assim que eu me sinto quando estou em atividade”, complementa.

Caio Castro fala do seu projeto “Eco-Lution”, que reúne artistas e eventos ecológicos. Ele cita o trabalho do estilista e designer de peças em materiais recicláveis, Joel Souza. “Quando eu trouxe o Joel para Nova York, apostei muito no seu trabalho. É uma matemática quando ele monta um vestido ou macacão, utilizando-se de lacre de latinha de refrigerante. É simplesmente maravilhoso”, reforça.

“Estou levando uma proposta para a Coca-Cola para apoiar o trabalho do Joel Souza nos Estados Unidos. O povo enlouquece com as suas confecções artesanais porque são maravilhosas. É um trabalho de alto nível, que merece estar exposto nas mais importantes galerias de Artes dos Estados Unidos e de outros países”, finaliza o coreografo.

Foto: Jaqueline de Andrade