A primeira impressão vira referência

A primeira impressão vira referência

voltar

FEV/14 – pág. 61

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O profissional é distinguido, por suas maneiras, cortesia e aparência. A construção de uma boa imagem requer posturas, hábitos e vestimenta adequados. Somos julgados em 15 segundos através do impacto visual que causamos positivo ou negativo. As pessoas nos vêm por outros ângulos e enxergam detalhes que nós sequer percebemos.

É a harmonia dos sinais não verbais, é que tornam a imagem consistente. Como uma identidade visual de uma empresa, que é repetida da mesma forma, seja qual for sua aplicação, é que dá credibilidade a marca.

Pense nisso na hora de comprar e vestir uma roupa para ir trabalhar.

  • Roupas inadequadas podem fazer com que as pessoas se sintam pouco à vontade e queiram distanciar-se de você.
  • A roupa não deve chamar mais atenção que a pessoa.
  • Seu exterior, a primeira referência que passa e o segredo está na simplicidade.
  • Jeans desbotado, roupa amassada, aparência descuidada, passa péssima impressão junto ao cliente e colegas.
  • Parece obvio más acontece. Não adianta estar com roupas bonitas, sem cultivar bons hábitos de higiene.

É preciso haver sintonia entre, roupa, cabelo, maquiagem, cuidados pessoais, acessórios, comportamento, postura e gestos. A roupa certa para o trabalho varia de acordo com o clima, o cargo, a empresa e ocasião.

Visual executivo

A moda masculina está mudando de visual e conceito, e as tendências apontam para novidades também no guarda-roupa executivo. Os ternos estão mais junto ao corpo, com paletós de lapela estreita e calças de cintura mais baixa e barra alta.

Independentemente do estilo da empresa, profissionais de qualquer área precisam ter consciência de que a maneira de vestir diz muito so¬bre si mesmo e como querem ser percebidos pelos outros. Cada vez mais as empresas aderem ao “dress code – manual com dicas” para disciplinar usos e abusos na maneira de vestir de seus funcionários.

O estilo casual-day, (roupa mais informal) adotado por diversas empresas e liberado na sexta-feira, gera muitas dúvidas e para não errar, a dica é evitar rou¬pas esportivas. Não use nada que des¬vie o foco – seja uma roupa, acessó¬rio ou até um perfume. Todos os serviços prestados por uma empresa estão direta¬mente ligados à forma como seus funcio¬nários se vestem e à sua postura. Você conseguiria ter respeito pelo chefe se ele aparecesse de camiseta regata e bermuda? A mesma regra vale para você.

Não só a mulher comete erros na hora de se vestir para o trabalho. O homem também deve ficar atento às combinações, texturas, estampas, etc. Informe-se e evite excessos de qualquer tipo, já que as empresas não vão que¬rer que sua imagem dependa do bom gosto ou do bom senso de sua equipe.

Com que roupa eu vou trabalhar?

Poucas peças, combinando entre si, ajudam você a montar um visual bacana, sem comprometer o orçamento.

Estilo formal

  • Homens – sempre terno nas cores clássicas, como marinho, grafite, cinza. Evite os tons fortes e difíceis de combinar, como uva, ferrugem. As camisas lisas podem ser brancas, azuis e com listras discretas.
  • Mulheres – terninho (com calça) ou tailleur (com saia), paletó, spencer ou jaqueta. Complete o visual com echarpe, lenço no pescoço, camisa com poucos babados.

Clássico moderno

  • Homens – calça e blazer com camisa e sem gravata. Camiseta pólo que têm gola e pode ser usada com um paletó ou blazer.
  • Mulheres – saia e calça em tecido alfaiataria, camisa branca, colorida, como azul, rosa, estampas discretas. Twin-set e casaquinhos são peças-coringa. Aposte nos acessórios, sem exageros, evitando estampas de animais. A dupla, camisa branca com saia lápis ou calça reta preta, não tem erro e fica elegante.

Dicas para um guarda-roupa básico

Para os homens

  • Dois ternos, um marinho (liso ou risca de giz), outro bege.
  • Camisas brancas e azuis, lisas e listradas em marinho e branco.
  • Quatro gravatas que combinem com esses ternos.
  • Dois pares de sapato, um preto, um marrom e cintos nas mesmas cores.
  • Dois pares de meias preta e dois marinho.

Para as mulheres

  • Um terninho com variação – uma saia no joelho, uma calça, um paletó.
  • Camisas e blusas que combinem com esse trio.
  • Um coletinho, um twin-set, um cardigã avulso.
  • Para completar um anel grande e maravilhoso no lugar de vários aneiszinhos e pulseirinhas.

O que evitar, definitivamente

  • Homens – jeans justos, barras arrastando no chão ou pula brejo, camisa aberta com o peito peludo à mostra, calça muito abaixo da cintura, camisa por fora da calça, corrente à vista, qualquer jóia além do relógio e aliança, meias brancas com sapatos pretos, tênis muito colorido, perfume forte, sapato sem engraxar, pele oleosa.
  • Mulheres – saltos muito altos, saias curtas, pés muito pelados, sandália para festa com roupa de trabalho. Perfume sufocante, bijuteria que faça barulho, decote provocante, barriga de fora, piercings, tatuagens à mostra, estampa graúda, unhas com cores estranhas e desenhos, cabelos longos e soltos, pele oleosa, rosto sem uma leve maquiagem.

Dicas sobre terno, blazer, meias e combinações.

  • Terno jaquetão ou duplo abotoamento é o mais formal.
  • Três botões é mais tradicional e fica bem em qualquer homem.
  • Dois botões deixam mais à mostra camisa e gravata. Exige maior atenção na combinação.
  • O cumprimento deve cobrir a curvatura do traseiro.
  • Os americanos preferem abertura atrás com 17 a 22 cm e os ingleses, duas aberturas nas laterais.
  • Paletós sem abertura são mais cosmopolitas.
  • Convencionou-se chamar a dupla, paletó e calça de “terno” o correto é “costume”.

Blazer – o curinga do guarda-roupa masculino

  • Uma roupa múltipla que vai bem com camisas – pólo, social, jeans, malhas de gola rulê, calças – jeans, social, de veludo, com e sem gravata.
  • Segura quase todas as situações, menos as ocasiões formais.
  • Blazer marinho – no verão de gabardine, no inverno em lã.
  • Blazer de verão – xadrezes miúdos 100% algodão, é elegante com todas as calças de verão.
  • Blazer de inverno – aqui pode entrar o marrom, em lãs, xadrezes e tweed.
  • Não tem erro – blazer marinho + calça cinza ou bege + meias marinho + sapatos pretos.
  • Paletó avulso – na falta do blazer pode quebrar o galho, mas deve ser marinho, bem clássico, dois ou três botões e de tecido pesado.
  • Nem pensar em arregaçar as mangas, você pode ser confundido com o rei do brega.
  • Blazer com tênis, parece que combina, mas não dá.

Com que meias eu vou

  • Meias masculinas devem ser como juízes de futebol, quanto menos aparecer, melhor. Usar as de cano longo, nada mais deselegante que pedaço da perna aparecendo.
  • Devem combinar com os sapatos ou calças.
  • Com calça claras meias no tom da calça, alongam a silhueta e são mais discretas.
  • Meias brancas com roupa social, jamais, foi “hit” em 1940.

adelitacostaCOLORAdelita Costa
Relações Públicas, Cerimonialista e Professora de Etiqueta Social, Profissional, Palestrante e Consultora. 
acfeventos@hotmail.com