A arte de fazer música

A arte de fazer música

Edição de outubro/2017 – pág. 50

A arte de fazer música

Como a crise fonográfica induziu músicos a produzirem seus próprios CDs, o assunto produção musical passou a ser de conhecimento obrigatório. Portanto, todo músico tem hoje a obrigação de ter informações referentes ao processo de produção musical e executiva, mesmo porque todo o trabalho até então realizado por uma gravadora, agora passa a ser realizado pelo músico. Sendo assim, além de tocar seu instrumento, o músico precisa também ter noções básicas de softwares de gravação, mixagem, masterização, documentação, distribuição e tudo mais que envolve o processo de produção musical.

Com o principal intuito de orientar e ordenar os procedimentos durante o processo de produção musical, lancei no ano de 2016 a segunda edição do Manual Prático de Produção Musical, que aborda o assunto de forma direta, em todos os detalhes, desde o processo de gravação até a distribuição do CD, passando por assuntos como documentação, capa, código de barras e muito mais. Para que o leitor do Nossa Gente tenha numa noção mais detalhada sobre o processo, confira a seguir alguns dos procedimentos indispensáveis quando o assunto é produção musical.

Primeiros Passos

Antes mesmo de começar a realizar sua produção propriamente dita, atente para detalhes que farão a diferença durante todo o processo. Casa um deles é de extrema importância, tão quanto um arranjo ou mesmo a qualidade de uma mixagem.

Repertório

Relacione, com margem de segurança, as músicas que pretende produzir, ou seja, selecione um número maior de músicas para que tenha opção de escolher pelas melhores ao final do projeto. Atente apenas para não ‘inchar’ o repertório com número irreal de músicas. Depois de definido o repertório, você terá a possibilidade de estipular prazos.

Prazo

Inicie sua produção estabelecendo prazos. È indispensável que eles sejam estabelecidos e, principalmente, atendidos. Sem prazos estabelecidos – não somente para começo e fim do projeto, mas principalmente para cada uma das etapas – você poderá comprometer o sucesso de sua produção e de seu orçamento. Estabeleça prazos reais para que possam ser atendidos. A título de exemplo, estabelecer prazos significa determinar qual o tempo a ser utilizado para pré-produção, para as sessões de gravações, para a pós-produção e inclusive o período necessário para o processo de mixagem.

Orçamento

É de igual importância a necessidade de se determinar o quanto gastar em uma produção. Para evitar surpresas – principalmente as desagradáveis! -, todos os custos devem computados, tais como locação de equipamentos extras, cachês de músicos contratados e técnicos auxiliares, conexão banda larga (sim, é indispensável!), estúdios para mixagem, masterização, fotos para capa do CD, produção de capa, documentação (ISRC) e inclusive prensagem do CD – ao menos, enquanto este existir. Com tantos custos, o recomendável é que você se utilize de uma planilha para lançá-los. Os valores deverão ser baseados em valores reais e não apenas em valores que você gostaria de gastar.

Músicos

Aos que não tem grupos formados, determine quais músicos deverão ser contatados para cada música a ser produzida (presumindo que você já tenha as composições que serão produzidas). Para isso, crie novamente mais um controle – com auxílio de uma planilha, por exemplo -, discriminando nome da música, tempo de duração, bpm e detalhes do arranjo que considerar necessários. Não economize em informações, pois todas elas serão úteis durante todo o processo. É indispensável que você adeque os músicos ao tipo de trabalho a ser produzido. O sucesso de sua produção dependerá – e muito! – de sua escolha. Muitas bandas deixam de existir exatamente durante o processo de produção, simplesmente por não terem sido bem definidos os rumos a serem tomados. Portanto, discutam cada decisão a ser tomada.

Equipamentos

Se você pretende começar sua produção no ambiente de home studio, tenha em mente que os melhores equipamentos continuam sendo aqueles que temos o conhecimento para operar. Sendo assim, desista da ideia de alugar um gravador analógico com fita de 2 polegadas para a gravação da bateria se você nunca trabalhou com um deles. Este tipo de decisão não traz resultados, mas sim, problemas. O equipamento básico para que você possa dar início ao trabalho em seu home studio poderá ser um gravador portátil ‘hard disc’ ou, dependendo do orçamento, um computador com configuração – software e hardware – adequada a proposta. Consulte as dezenas de possibilidades disponíveis no mercado, antes mesmo de fazer a decisão por qual comprar. Microfones, amplificadores, cabos. Certifique-se que tudo está em perfeito funcionamento antes de dar início ao trabalho de gravação.

O processo de produção musical requer disciplina, empenho e dedicação, mesmo porque muitas das etapas são estritamente burocráticas, sem qualquer vínculo com o assunto música.